Novidades

[Lista] 10 diferenças entre o livro e o filme de "Caixa de Pássaros"


A adaptação de “Caixa de Pássaros”, livro de Josh Malerman, chegou finalmente à Netflix, com direção de Susanne Bier. E como toda adaptação literária para o cinema – ou streaming -, é obvio que mudanças seriam feitas aqui e ali. Então listamos algumas mudanças entre o livro e o filme. E AVISO: se você não leu o livro, essa postagem está repleta de SPOILERS – mesmo se você viu o filme, esse aviso é necessário.

01. Shannon:
A irmã de Malorie possui uma curta trajetória tanto no filme quanto no livro, mas de maneiras bem diferentes. Enquanto no filme, Shannon morre atropelada após o acidente de carro onde ela vê uma das criaturas, no livro, a morte, também causa por ela ter visto uma criatura, ocorre dentro da casa dela e de Malorie, onde Shannon se mata no banheiro depois de um cobertor de uma das janelas se soltar.

02. A casa com os sobreviventes:
No filme, o caos se instala e no corre-corre, Malorie e alguns outros encontram uma casa para se esconder. Bem, no livro já não é assim. Malorie vê em um jornal o anuncio de uma casa segura com alguns sobreviventes, há alguns quilômetros de onde ela mora, e segue para lá após a morte da irmã.

03. Busca por recursos:
Algumas das partes mais intensas do livros são quando alguns dos moradores da casa precisam sair para buscar água no poço próximo a casa, ou procurar por medicamento e alimento em outras casas da vizinhança – tudo isso vendados. No filme isso acontece apenas uma vez, em um supermercado. Nesses momentos, um ponto importante também acontecia: sempre que entravam em casa e fechavam a porta, eles procuravam com vassouras se algo tinha entrado junto com eles na casa – as criaturas – antes de tirarem as vendas. O filme deixou esses detalhes de lado.

04. Os moradores e as mortes na casa:
Isso é uma outra parte importante que é bastante diferente. Enquanto no filme, Malorie, Tom e mais uma chegam a casa juntos, no livro, Malorie chega lá sozinha. Além disso, mortes já aconteceram, diferente do filme, que a primeira morte dentro da casa acontece com todos já convivendo juntos. As mortes na casa são muito mais sangrentas e traumáticas do que a forma como foi retratada no filme

05. As crianças:
O livro detalha muito mais o treinamento das crianças, imposto por Malorie desde seu nascimento até o dia em que decide atravessar o rio em direção ao refúgio. Além disso, uma das partes mais importantes do livro, a audição aguçada decorrente desse treinamento, é deixada de lado no filme, aparecendo vez ou outra em algumas cenas finais. Além disso, Malorie cuida das crianças sozinha desde o nascimento delas, sem a ajuda de Tom, e a interação delas com Malorie é muito maior e interessante de acompanhar. Já no filme, ela e Tom, além das crianças, sobrevivem juntos durante um tempo após o massacre na casa.

06. Olympia e Malorie:
A relação entre as duas é bastante explorada no livro, criando um laço até bem bonito e dando significado para os acontecimentos futuros envolvendo as duas. Porém no filme, a relação entre elas parece distante e meio indesejada por Malorie, beirando o superficial e incomodo.

07. Gary:
O último a chegar na casa é o misterioso Gary, e sua entrada na história é o plot-twist da história, dividindo não somente o tempo em antes e depois de suas ações, mas também dividindo a “comunidade” que se formou dentro da casa, pelos sobreviventes. No filme, sua chegada causa um desconforto leve, e repercussões desastrosas. Mas não impacta. E ainda, Gary não fica na casa no livro: ele é expulso pelos moradores, e tem uma relação com outro personagem que causa todo o desastre.

08. O Refúgio:
O último local seguro no filme é encontrado por indicações através de um rádio comunicador. Já no livro, Tom teve contato com as pessoas de lá e no meio da floresta, perto da bifurcação do rio, montou um esquema de som para guiar que estivesse seguindo as correntezas em direção ao refúgio. No filme, é um paraíso, tal qual o livro, mas é nada mais é dito sobre as pessoas de lá, diferente do livro, que dá algumas explicações extras.

09. As criaturas:
No livro as criaturas não são descritas em momento algum, de forma alguma, a não ser quando alguém a vê e se mata. Ainda assim, somente temos a reação da pessoa que está vendo, e nada além disso – nem som, nem movimento, nem nada. No filme, há alguns efeitos de energia estática, além de presença física – ainda que invisível – marcada por sombras. Além disso, há algumas incongruências no filme: na cena do carro no inicio do filme, Shannon vê uma das criaturas, mas Malorie não, mesmo que esteja sem vendas. No livro, é certo que, se uma pessoa vir a criatura, todos aqueles que estão de olhos abertos também sofrerão seus efeitos.

10. Os pássaros:
É um detalhe simples, mas enquanto no livro os pássaros ficam do lado de fora da casa, na porta de entrada, servindo como um aviso constante, no filme eles ficam o tempo todo dentro da casa.

Onde queremos chegar com isso? Bem, as duas obras são ótimas, cada uma a sua maneira; são competentes em entregarem aquilo a que se propuseram. Contudo, o filme, do ponto de vista de "adaptação" de uma obra literária, deixa a desejar - pelo menos aos fãs. Mas se for visto pela ótica de uma obra cinematográfica simplesmente, tanto por não conhecer o livro ou por distanciamento, é possível aproveitar e muito o longa - que está realmente muito bom.

E o que vocês acharam do filme?
Preferem o livro ou o filme?
  • Para ler nossa resenha do livro "Caixa de Pássaros", clique AQUI
  • Para ler nossa crítica do filme "Bird Box", clique AQUI

Nenhum comentário