08 julho 2017

[Nerds & Geeks] As crônicas de Nárnia: introdução e o que vem por aí



´´Nárnia não é a terra dos homens . É a terra de Aslam, das árvores despertas, das náiades visíveis, dos faunos, dos sátiros, dos anões e dos gigantes, dos centauros e dos animais falantes.´´

Certamente você já ouviu falar das sete histórias que compõem as crônicas de Nárnia, mesmo que nunca tenha lido nenhuma delas ou visto algum filme. Publicado pela primeira vez, em 1950, conta as histórias da mítica terra de Nárnia, desde sua fundação em O sobrinho do mago até seu final em A última batalha. Três adaptações para o cinema foram feitas até agora, O leão, a feiticeira e o guarda-roupa em 2005, Príncipe Caspian em 2008 e A viagem do peregrino da alvorada, em 2010. Como ontem foi feito o anúncio de que as filmagens de A cadeira de prata começam em novembro, decidi escrever sobre a série. 

O autor, Clive Staples Lewis, era um estudioso de Oxford e lecionava Teologia e Literatura Medieval e Renascentista. Criado na Igreja Anglicana, suas obras eram repletas de ensinamentos de cunho religioso. Aslam, o leão que é o fundador e Deus de Nárnia, foi inspirado na figura de Jesus Cristo.A seguir, uma sinopse de cada uma das sete histórias em ordem cronológica:

- O sobrinho do mago
Diggory Kirke e Polly Plummer são duas crianças que se conhecem quando estão brincando no jardim compartilhado de suas casas vizinhas e vão parar no escritório do tio de Diggory, André. Ele engana Polly e a faz tocar em um anel amarelo, o que faz a garota desaparecer. Ele o chantageia a tocar outro anel amarelo e ir para o mesmo lugar onde ela foi e o garoto leva dois garotos verdes para ambos voltarem. Eles se veem em um lugar com uma árvore e várias poças, cada uma levando a um mundo diferente e o apelidam de Bosque entre mundos. Pulam em uma poça e se veem no mundo de Charn, onde despertam a feiticeira Jadis. Tentam se livrar dela mas ela volta para Londres com eles quando encosta em uma parte da roupa. Ela causa uma confusão na rua, rouba uma joalheria e acaba voltando para o Bosque juntamente com Diggory, Polly, tio André, o motorista da carruagem e seu cavalo. Eles pulam em uma poça esperando que os levem de volta a Charn mas acabam parando em um lugar vazio-um mundo que ainda não fora criado. Presenciam a criação de Nárnia pelo leão Aslam e a feiticeira foge. Voltam para seu mundo, Diggory planta uma semente que vira uma árvore. Anos depois, quando a família herda uma mansão no campo, a árvore é derrubada por uma tempestade e com a madeira dela, um guarda-roupa é construído.

- O leão, a feiticeira e o guarda-roupa.
No ano de 1940, a Inglaterra está em plena Segunda Guerra Mundial e as crianças estão sendo evacuadas para o campo. Os quatro irmãos Pevensie, Pedro, Susana, Edmundo e Lúcia são enviado para viverem com o excêntrico professor Diggory em uma mansão no campo. Um dia, durante um jogo de pique-esconde, a caçula Lúcia, abre a porta do guarda-roupa e se depara com um mundo coberto de neve e conhece um fauno, chamado Sr. Tumnus, que a convida para jantar. Ele conta que o inverno foi imposto pela terrível Feiticeira Branca e que ela escraviza o povo narniano. Lúcia volta para casa e conta a seus irmãos, que a princípio não acreditam nela mas depois que entram, são convidados a comer na casa de uma família de castores. Edmundo, que esteve lá antes de Susana e Pedro, sai sem ninguém perceber e vai para o castelo da feiticeira, oferecer informações em troca de manjar turco. A feiticeira fica furiosa por ele ter ido sozinho e vai buscar os outros Pevensie com seu trenó mas os castores percebem a ausência e a traição de Edmundo e correm para a Mesa de Pedra para procurar Aslam. Enquanto isso, o feitiço começa a quebrar.No final, os irmãos são coroados Reis e Rainhas de Nárnia mas voltam para o nosso mundo.

- O cavalo e seu menino.
Um bebê é encontrado na beira de um rio por um pescador da Calormânia chamado Arsheesh. Ele dá o nome de Shasta ao garoto e o trata como um servo. Um dia, ao ouvir Arsheesh negociando seu preço com um comerciante, ele foge e enquanto arruma seu cavalo, Bri, diz:´´Queria que você pudesse falar´´. Para sua surpresa, o cavalo responde e explica que é um animal falante de Nárnia que foi obrigado a se disfarçar como um cavalo mundano. Eles fogem juntos e na jornada conhecem uma tarcaína (nobre da Calormânia) montada em uma égua falante chamada Huin, tentando fugir de seu pai, que desejava casá-la com o grã-vizir bem mais velho do que ela, Ahoshta. Para chegar a Nárnia, é necessário atravessar a cidade de Tashbaan mas a situação complica quando Shasta é confundido com o príncipe da Arquelândia, Corin e ele descobre um plano dos calormanos de casar o príncipe Rabadash, filho do Tisroc, com a rainha Susana.  No final, eles encontram Aslam e é revelado que Shasta é Cor, o gêmeo perdido de Corin. Essa história foi a quinta a ser publicada mas é a terceira na ordem cronológica pois se passa na Era de Ouro de Nárnia, quando os Pevensie ainda governavam. 

- Príncipe Caspian
Um ano após os acontecimentos de O leão, a feiticeira e o guarda-roupa, os 4 irmãos estão esperando o trem numa plataforma quando são magicamente transportados para uma praia perto de um castelo deserto. Ele reconhecem o lugar como sendo Cair Paravel, o lugar onde governavam como reis e rainhas; encontram a espada e o escudo de Pedro, o arco e a flecha de Susana e a adaga e o elixir mágico de Lúcia. A trompeta mágica de Susana ficou perdida em um algum lugar da floresta. Eles salvam o anão Trumpkin de ser executado por afogamento. O anão conta que se passaram 13000 anos  e que desde o desaparecimento deles, um povo, os telmarinos invadiram Nárnia, enviaram os animais falantes de volta para a floresta e assumiram o poder. A terra está sendo governada pelo rei Miraz e pela rainha Prunaprismia mas o legítimo herdeiro ao trono é o sobrinho de Miraz, o príncipe Caspian, filho de seu irmão, o antigo rei Caspian IX. Todo o povo esperava que Caspian fosse assumir o trono mas quando a rainha deu à luz, o príncipe fugiu com a ajuda de seu tutor, Doutor Cornélio. Ao chegar na floresta, Caspian é acolhido pelo texugo Caça-Trufas e pelos anões Trumpkin e Nikabrik, que o aceitam como seu soberano. A trompa de Susana é tocada e eles são trazidos do passado. Depois disso cabe a Pedro, Susana, Edmundo e Lúcia tem que ajudar Caspian a recuperar o trono e expulsar os telmarinos. No final, Caspian assume seu devido lugar e Aslam dá aos telmarinos a escolha de voltar para Telmar ou permanecer em Nárnia

- A viagem do peregrino da alvorada.
Edmundo e Lúcia estão passando as férias na casa de seu detestável primo Eustáquio Mísero enquanto Pedro está estudando para um exame com o Professor Kirke e Susana está viajando pelos EUA com seus pais. Eles são transportados de volta para Nárnia através do quadro de um navio.Eustáquio acaba indo com eles. As crianças vão parar no cais onde o navio do príncipe Caspian, que agora é um idoso, está embarcando em uma viagem no navio Peregrino da Alvorada para encontrar os Sete Lordes Perdidos, os lordes que partiram em expedições para explorar as terras do Oceano Estreito. Os três embarcam no navio, que também tem na tripulação o rato Ripchip e o capitão, Drinian. Eles encontram o primeiro lorde na primeira ilha das Ilhas Solitárias quando são capturados e vendidos como escravos.O home que os compra revela ser Lorde Bern. Eustáquio cria várias confusões com seu mau humor mas aprende uma lição que o torna mais humilde. Eles vivem várias aventuras até encontrarem ou saberem dos destinos de cada um dos lordes.No final, Edmundo, Eustáquio e Lúcia são enviados de volta para casa e Eustáquio vira um garoto decente.

- A cadeira de prata.
No internato onde Eustáquio estuda, ele conhece uma menina chamada Jill Pole. Um dia, quando eles estavam fugindo de uns valentões, acabam indo parar em Nárnia enviados por Aslam ao cair de um precipício que alcançaram através de uma porta no porão.O grande leão dá 4 sinais para ajudá-los: Primeiro: assim que Eustáquio puser os pés em Nárnia, deve cumprimentar seu velho amigo ou perderá uma grande ajuda. Segundo:vocês devem viajar para longe de Nárnia, para o norte, até encontrar a cidade perdida dos gigantes. Terceiro: encontrarão uma inscrição numa pedra da cidade em ruínas, devendo proceder como fala a inscrição. Quarto: reconhecerão o príncipe perdido (caso o encontrem) pois será a primeira pessoa em toda a viagem a pedir algo no nome de Aslam.

Jill e Eustáquio se veem no cais da cidade de Cair Paravel, onde encontram um Caspian 70 anos mais velho, partindo em uma expedição para encontrar seu filho perdido, Rilian, que desaparecera dez anos atrás e não fora visto desde então. Infelizmente o navio zarpara antes que eles possam ter uma chance de falar com Caspian.Perderam o primeiro sinal.

O anão Trumpkin, que está velho e surdo, se tornou o regente e providencia acomodações para eles. A coruja Plumalume, chefe do Parlamento, conta que o príncipe saiu em busca da serpente verde que matara sua mãe durante um piquenique. Eles se juntam à Brejeiro, uma criatura da raça paulama, espécie de anfíbio, um pessimista. Sua primeira parada é Ettinsmoor,a cidade em ruínas dos gigantes (cumpriram o segundo sinal) onde encontram gigantes que parecem não os notar. Dias mais tarde, depois que atravessam a Ponte dos Gigantes, Jill, Eustáquio e Brejeiro encontram uma bela mulher com um vestido verde, que os cumprimentou, se apresentou como a Dama do Vestido Verde e os aconselhou a se hospedarem no castelo dos gigantes, perto dali, em Harfang, e dizer que ela o enviara para o Festival de Outono. Ao lado da dama, havia um cavaleiro usando uma armadura negra e ele nada falou durante o encontro. As crianças e Brejeiro foram recebidos no castelo e tratadas bem. Uma noite, enquanto Jill olha pelo lado de fora da janela de seu quarto, ela reparou que a neve que estava cobrindo o solo havia sido varrida pela tempestade do dia anterior e revelara as palavras DEBAIXO DE MIM na planície abaixo. Durante uma excursão à cozinha, acabam descobrindo pelo livro de receitas que eles seriam o prato principal para o festival. Conseguem fugir e acabam se refugiando em uma caverna e seguem o terceiro sinal. Eles caem fundo, fundo, até pararem no Reino Profundo. Os habitantes do mundo subterrâneo os levam até a presença de sua rainha mas ela estava fora e quem os recebe é o misterioso cavaleiro da armadura negra que viram anteriormente. Ele conta que sofre de uma terrivel maldição: toda noite tem surtos psicóticos e precisa ser amarrado a uma cadeira de prata ou se transformará em uma serpente verde gigante e matará todos. Eles o observam ser amarrado e começa a delirar, ao que o trio observa. Quando o príncipe implora para ser libertado pelo nome de Aslam, eles relutantemente o soltam, reconhecendo o quarto sinal. O príncipe revela ser Rilian e imediatamente destrói a cadeira com sua espada. A feiticeira chega e tenta fazê-los esquecer quem eram tocando um instrumento hipnótico mas Brejeiro consegue quebrar o feitiço e ela, furiosa, se transforma em uma serpente. Rilian consegue matar o monstro com a ajuda das crianças e do paulama e o reconhece como o mesmo monstro que assassinara sua mãe anos antes. Eles retornam á Nárnia e Rilian consegue se despedir de seu pai, que estava á beira da morte. Aslam reaparece e leva Jill e Eustáquio de volta ao seu país, no mesmo local onde eles estiveram antes da aventura começar e o corpo de Caspian aparece no riacho. Aslam ordena a Eustáquio a enfiar um espinho de sua pata e quando o menino faz isso, o sangue escorre sobre o corpo do rei morto, que o rejuvenesce e volta à vida. Aslam permite que Caspian os acompanhe até  a escola e espanta os valentões. Caspian volta ao País de Aslam e o lugar onde eles estudam se torna uma instituição bem-administrada.

- A última batalha.
Nessa história, Lewis narra os últimos dias de Nárnia. Manhoso, um macaco falante tão velho que ninguém se lembrava quando ele se mudou para Nárnia, encontra uma velha pele de leão e decide fingir que seu amigo Confuso, um burro, é Aslam que teria retornado. O macaco faz uma aliança com os calormanos que estavam planejando invadir Nárnia.  O rei Tirian, bisneto de Rilian, flagra os calormanos cortando uma árvore perto do Ermo do Lampião (onde Lúcia encontrou o Sr. Tumnus e luta com eles. Consegue matar dois mas é feito prisioneiro.Desesperado, ele reza pela ajuda dos reis de antigamente e acaba dormindo e atingindo um estado de semi-consciência. Sonha que está sentado numa mesa com sete pessoas e aparentemente eles conseguem ver o rei, embora não possa falar. Um homem se levanta e se proclama Pedro, o Alto Rei de Nárnia e declara que eles são os sete amigos de Nárnia. A imagem se desfaz e Tirian acorda, ainda amarrado na floresta. Ele não fica sozinho por muito tempo, pois Jill e Eustáquio chegam para ajudá-lo. 
Não contarei mais a partir daí porque essa história é simplesmente sensacional. Tanto que recebeu a medalha Carnegie, uma das mais altas distinções  concedida à literatura infantil na Inglaterra.Temas como fanatismo religioso, a eterna luta do bem contra o mal, falsidade, sedução e enganação, além do tema cristão, presente em todas as sete histórias.
Mesmo após mais de 50 anos após terem sido publicadas pela primeira vez,as crônicas continuam encantando e cativando gerações.O tipo de livro que todo mundo deveria ler pelo menos uma vez na vida.

E que venha o filme da Cadeira de Prata!



5 comentários

  1. Oi Clara!
    Adoro as crônicas da Nárnia! Estou ansiosa pelo próximo filme, (parece que nunca chega a data rsrsrsr)
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aichha, eu também estou, vc tem uma história favorita ou gosta igualmente de todas ?
      Bjos

      Excluir
  2. Se é minha série de livros favorita? É sim! Amor incondicional por Nárnia e por Lewis. Sobre o novo-próximo-filme, nos resta torcer pra que a adaptação seja boa!

    ResponderExcluir
  3. 2010 tem que chegar logo, sério, estou a muito tempo esperando esse livro

    ResponderExcluir
  4. Daqui a 98391283 anos estarei lendo uma matéria sobre Cônicas de Nárnia. Se eu reclamo? Jamais!

    ResponderExcluir