31 outubro 2018

[News] Cate Blanchett vive advogda anti-feminista em minissérie

A vencedora do Oscar Cate Blanchett (Blue Jasmine e Carol)foi escalada para interpretar a advogada anti-feminista australiana Phyllis Schlafly na nova minissérie do canal FX, Mrs.America. A notícia vem da revista Variety.
A série ainda não tem previsão de estreia. Tudo que se sabe até agora é que será ambientada na década de 70 e fala sobre o movimento conservador, criado com a proposta de se opor ao feminismo.
Algumas feministas famosas como Shirley Chisholm, Betty Friedan,Bella Abzug, Gloria Steinem e Jill Ruckelshaus e como suas ideias e conceitos causaram uma reação da população conservadora da época.
Sobre seu papel, Cate declarou:
¨Eu estou animada para mergulhar nesse material, e sinto que não poderia haver momento mais oportuno para olhar para as muitas camadas desse momento histórico que vamos retratar".
Além de atriz, ela também será produtora-executiva de Mrs.America.

Fonte:IG

[News] Nômade Orquestra recebe os rappers Edgar e Bia Ferreira no Sesc Ginástico na terça-feira

© Pedro H. Ladeira
Banda instrumental do ABC Paulista ganhou projeção internacional e circulou pela Europa com seu primeiro álbum. Som embalará as rimas com denúncia social dos jovens rappers 

O encontro que encerra o RapJazz – projeto do Sesc RJ com shows que apresentam novas tendências estéticas musicais tendo o rap como fio condutor – será entre a Nômade Orquestra e os rappers Edgar Bia Ferreira na próxima terça-feira (6/11), às 19h30, no Sesc Ginástico, Centro do Rio. Como os encontros do projeto são inéditos e os artistas reúnem-se na véspera para alinhar a proposta de parceria, o repertório é uma surpresa. Sabe-se,porém, que o resultado será um show exclusivo, unindo o rap a novos hibridismos da música negra nacional. Os ingressos custam entre R$7,50 (Cartão Sesc) e R$30.

Oriunda do ABC Paulista, a Nômade Orquestra desenvolve um trabalho autoral de música instrumental com influências do funk70, jazz, dub, rock, afrobeat, ethiogrooves e outras expressões musicais. Seu primeiro álbum “Nomade Orquestra“, de 2014, ganhou projeção internacional em 2016, quando foi lançado pelo selo inglês FarOut Recordings, levando o grupo a uma EuroTour por países como Portugal, Espanha, Inglaterra, Bulgária e Alemanha. Em 2017, veio o segundo CD, “EntreMundos”, fruto do amadurecimento do grupo e da continuidade do mergulho no universo musical nômade com novas paisagens, texturas e experimentações.
© Pedro H. Ladeira
Cantora, compositora, multi-instrumentista e ativista sergipana, Bia Ferreira define sua música como MMP: Música de Mulher Preta. Faz uso dela para educar, conscientizar e passar informações a respeito das demandas de luta do movimento antirracismo no Brasil. Em ascensão no circuito da música independente brasileira, já participou do Pulso Redbull Music e do Vento Festival 2018, e gravou a música “Cota Não É Esmola” pelo Estúdio Showlivre e o Sofar Sessions Latin America, conquistando mais de 4 milhões de visualizações no Youtube.

Cantor, compositor, performer e rapper, Edgar formou-se nas rodas de freestyle do centro de Guarulhos (SP). Seu primeiro álbum veio em 2015, o “Paralelo 22s”, produzido de forma independente com Eduardo Barbosa e a produção musical de Jefferson Ob Score. De lá para cá, lançou mais quatro trabalhos, sendo o último álbum “Ultrassom”, cuja produção musical é assinada por Pupillo Oliveira, um dos principais produtores musicais da atualidade e baterista da banda Nação Zumbi. 

A série de encontros RapJazz começou no dia 16 de outubro, com Zé Bigode Orquestra e Chico Tadeu. Depois reuniu a banda OQuadro e os MCs Martina, Marechal e Yas Werneck, além de Black Alien e Braza.

© Pedro H. Ladeira

SERVIÇO

RapJazz
06/11 - Nômade Orquestra convida Edgar e Bia Ferreira
Horário: 19h30
Teatro Sesc Ginástico: Av. Graça Aranha, 187 - Centro

Ingressos: R$30, R$15 (meia entrada) e R$7,50 (Cartão Sesc)*

*Doação de 1 quilo de alimento não perecível garante desconto de 50% de desconto sobre a tarifa correspondente

Classificação: 14 anos

[News] Djavan lança "Cedo ou Tarde", segundo single de "Vesúvio"

Canção vem acompanhada de lyric video criado e desenvolvido por ex-alunos da Oi Kabum, que oferece a estudantes da rede pública de ensino uma formação em artes gráficas e digitais, e do CriAtivo Film School, projeto da Nave de Conhecimento de Triagem

Em setembro, quando lançou “Solitude”, o primeiro single de seu novo álbum, “Vesúvio” (Luanda Records/Sony Music) – com lançamento oficial marcado para 23 de novembro –, Djavan já deixava claro qual seria a onda do novo trabalho: pop e político. Note-se que é um pop bem ao seu estilo – cheio de surpresas melódicas, harmônicas e poéticas – e um político bem ao seu jeito, no sentido de serem canções nada panfletárias, mas muito influenciadas pelo tempo presente, pelas observações do artista do momento conturbado do Brasil e do mundo. De certa forma, trata-se de um movimento raro em sua carreira, o que apenas demonstra a gravidade do momento e a urgência de se fazer canções a respeito, canções diretas, simples (sem abrir mão de seu estilo e elaboração): em uma palavra, pop.
Hoje, 31 de outubro, três semanas antes do lançamento do disco, o segundo single vem confirmar a tendência. “Cedo ou tarde” é pop. Ou mais especificamente, trata-se de um funk suingadíssimo, jeito antigo, que nos remete ao estilo como ele era nos anos 70 ou 80, mas com o estilo inconfundível de Djavan e um retrato da atualidade marcada pelo medo, numa definição poética impressionante: “Quem manda é o medo/A hora é imprópria/Pra sorrir/Viver assim/Com tais dissabores/Não é brincadeira”.
Por acaso – mas como em poesia, em arte não há acaso, apenas a antena do artista a captar as ondas do momento – “Cedo ou tarde” sai exatamente na hora em que o Brasil, radicalmente dividido até dentro das famílias, acaba de ir às urnas. E a canção expressa essa perplexidade também em relação ao país: “Com tantos rancores/Faz-se uma fogueira/Não sei/Mais o que é certo/O que decerto/É ruim/Nem sei de mim”.
- Estamos vivendo um momento de grande incerteza no Brasil e no mundo, tudo é complexo, confuso e nebuloso. Estou apreensivo com o futuro, todas as possibilidades são complicadas. Algumas canções do novo disco nasceram dessa perplexidade – explica Djavan, o contexto em que criou tanto “Solitude”, como esta “Cedo ou tarde”, que chega com um lyric video com direção de Rafael Gino, motion design de Carlos Eduardo Santos, ambos ex-alunos da Oi Kabum, escola de arte e tecnologia que oferece a estudantes da rede pública uma formação em artes gráficas e digitais, e direção de arte de Luma Rodrigues, do CriAtivo Film School, projeto da Nave de Conhecimento de Triagem.
Para além do momento, vocês vão ver, “Vesúvio” traz esse desejo incessante que Djavan tem de fazer canções, já lá se vão bem mais de 40 anos. Como o título indica – o belo, terrível e potente vulcão do Sul da Itália - as canções são de certo modo impregnadas por metáforas da natureza, pela potência da natureza. “Cedo ou tarde” também anuncia isso, com sua profusão de cores e elementos da natureza logo na abertura da canção: “Azul/Vem dos lados/De anil/Veio assim, nem me viu,/Mal passou por aqui/Aqui/Cedo ou tarde/É quando?/Antes eu me mando/Deixo o ar invadir”.
Como uma invasão de ar em meio a um mundo e um Brasil mais para o irrespirável, as novas canções de Djavan vêm chegando aos poucos. Já vieram duas. Em novembro vem mais uma dezena de canções pop, líricas, urgentes, lufadas de ar. Como esta “Cedo ou tarde”. Como devem ser as canções. 

CEDO OU TARDE
(Djavan)  

Azul
Vem dos lados
De anil
Veio assim, nem me viu,
Mal passou por aqui
Aqui
Cedo ou tarde
É quando?
Antes eu me mando
Deixo o ar invadir
Ali
Quem manda é o medo
A hora é imprópria
Pra sorrir
Viver assim
Com tais dissabores
Não é brincadeira
Com tantos rancores
Faz-se uma fogueira
Não sei
Mais o que é certo
O que decerto
É ruim
Nem sei de mim
Com a dor destruída
O que vai ser da vida?
A vida soberana
Seria desumana
Porque o sol da tarde
Clareia, mas não arde
O mal de quem ama
É a fé.

Djavan - voz
Felipe Alves - bateria
Arthur de Palla - baixo
Torcuato Mariano – guitarra
Paulo Calasans - Teclados
Renato Fonseca – teclados

FICHA TÉCNICA DO LYRIC VIDEO:

Direção: Rafael Gino
Direção de arte e Roteiro: Luma Rodrigues
Animação: Carlos Eduardo Santos e Rafael Gino
Edição Final: Rafael Gino

[News] Dilsinho apresenta primeira amostra do novo DVD "Terra do Nunca"

"Péssimo Negócio" é o single de estreia do projeto, que chega acompanhado de vídeo ao vivo

Gravado no dia 20 de setembro no Rio de Janeiro, “Terra do Nunca”, primeiro DVD do cantor Dilsinho, tem seu primeiro single revelado: “Péssimo Negócio” estreia nesta quarta-feira (31) acompanhado de vídeo ao vivo extraído da gravação do novo projeto.
Composta por Bruno Caliman e produzida pelo vocalista do grupo Sorriso Maroto, Bruno Cardoso, ao lado de Lelê (US3), a faixa foi a escolhida para apresentar o mais recente trabalho do cantor carioca.



Dilsinho conta que, desde que escutou a música pela primeira vez, sabia que entraria para o novo projeto: “assim que ouvi ´Péssimo Negócio´, já sabia que seria um single. Não sabia se seria o primeiro, mas sabia que seria uma música de trabalho do disco. E ela foi crescendo cada vez mais, a galera falando nas redes sociais. Assim que a gente gravou o projeto, a energia no dia foi muito incrível. A galera cantando do início ao fim. Então, foi uma ordem natural das coisas. O público escolheu essa música para ser a primeira do DVD”.
O cantor, então, deu o toque pessoal à canção, que, originalmente, tinha um arranjo diferente: “essa música tinha um lado mais pop rock, que eu queria mostrar, e, ao mesmo tempo, consegui colocar os elementos do pagode e do samba nela”, revela.
Além de 12 canções inéditas, o DVD “Terra do Nunca” conta ainda com sucessos que confirmam o cantor como um dos maiores nomes do pagode romântico da atualidade. Hits como “12 Horas” e “Refém” fazem parte do repertório. 
Mais do que uma gravação de DVD, o registro do novo trabalho proporcionou aos presentes uma experiência única, onde a ideia foi invadir o mundo do inconsciente e levar à uma conexão entre os sonhos e a realidade. O universo irreal dos sonhos transcende a realidade e transmite a mensagem de que não apenas devemos sonhar, mas também acreditar nos nossos sonhos e buscar realiza-los
A gravação contou com participações especiais e encontros inéditos. Ivete Sangalo, Léo Santana, Ferrugem, Mumuzinho, Dennis, Kevinho e Luan Santana foram os nomes que fizeram parte do projeto “Terra do Nunca”.

Sobre 

Dilsinho segue movimentando o cenário musical através de canções que transbordam o gênero, ousando ao experimentar novas roupagens em suas músicas. Recentemente recebeu o Disco de Ouro pelos mais de 432 milhões de streams de áudio e vídeo em suas canções. Seu último single de trabalho foi a parceria com Ivete Sangalo, “Iôiô”, que já passa de 14.9 milhões de visualizações em seu canal oficial no YouTube. O hit de Platina “12 Horas” conta com mais de 16 milhões de plays nas plataformas digitais o clipe da faixa já passa das 44.2 milhões de visualizações. A canção ganhou uma versão acústica com participação da cantora Marília Mendonça.
Com mais de 1.4 milhão de inscritos em seu canal oficial no YouTube, o cantor acumula expressivos números em seus videoclipes: “Trovão” (single de Platina, com mais de 56.3 MM de views), “Refém” (single de Platina dupla, com mais de 78.2 MM de views), “Cansei de Farra” (single de Platina, com mais de 48 MM de views), “A Vingança” (+ de 23.9MM de views), “Já Que Você Não Me Quer Mais” (+ de 20.9MM de views), “Se Quiser” (+ de 21.4 MM de views) e “Piquenique” (single Ouro, com mais de 206MM de views).

[Programação] Cinema-Estreias de 1 de novembro

  Confira os filmes que estreiam essa semana:

 A casa que Jack construiu


Um dia, durante um encontro fortuito na estrada, o arquiteto Jack (Matt Dillon) mata uma mulher. Este evento provoca um prazer inesperado no personagem, que passa a assassinar dezenas de pessoas ao longo de doze anos. Devido ao descaso das autoridades e à indiferença dos habitantes locais, o criminoso não encontra dificuldade em planejar seus crimes, executá-los ao olhar de todos e guardar os cadáveres num grande frigorífico. Tempos mais tarde, ele compartilha os seus casos mais marcantes com o sábio Virgílio (Bruno Ganz) numa jornada rumo ao inferno.




Bohemian Rhapsody
Freddie Mercury (Rami Malek) e seus companheiros, Brian May, Roger Taylor e John Deacon mudam o mundo da música para sempre ao formar a banda Queen durante a década de 1970. Porém, quando o estilo de vida extravagante de Mercury começa a sair do controle, a banda tem que enfrentar o desafio de conciliar a fama e o sucesso com suas vidas pessoais cada vez mais complicadas.









Johnny English 3.0
Em sua nova aventura, Johnny English (Rowan Atkinson) é a última salvação do serviço secreto quando um ataque cibernético revela as identidades de todos os agentes do país. Tirado de sua aposentadoria, ele volta à ativa com a missão de achar o hacker por trás do ataque. Com poucas habilidades e métodos analógicos, Johnny English precisa superar os desafios do mundo tecnológico para fazer da missão um sucesso.










O doutrinador
Um vigilante mascarado surge para atacar a impunidade que permite que políticos e donos de empreiteiras enriqueçam às custas da miséria e do trabalho da população brasileira. A história do homem por trás do disfarce de "Doutrinador" envolve uma jornada pessoal de vingança na qual um agente traumatizado decide fazer justiça com as próprias mãos.











[News] BFF Girls lançam cover de "Girls Just Wanna Have Fun"

Versão do trio está na novela "Espelho da Vida", da TV Globo

Após lançarem sua terceira música autoral “Pode Parar”, o grupo teen BFF Girls, formado por Bia Torres (13 anos), Laura Schadeck (15 anos) e Giulia Nassa (15 anos) lançam nesta quarta-feira (10), o cover de “Girls Just Wanna Have Fun”, hit mundial na voz de Cyndi Lauper.
A versão, que carrega a essência pop que o trio tem mantido em seus lançamentos, está na trilha sonora da novela “Espelho da Vida”, da TV Globo, com produção de Mister Jam e Paulo Jeveaux.

O cover também já está disponível nas plataformas digitais de áudio:https://SMB.lnk.to/GirlsJustWannaHaveFun

Bia falou sobre a faixa: “Foi uma honra gravar esse hit dos anos 80 que com certeza marcou essa geração, ainda mais para a trilha sonora de uma novela da TV Globo. Pudemos apresentá-la de um jeito moderno e atual (um pouco mais a nossa cara), mas sem perder a essência!”.
“Vou contar um segredo! Eu e minha mãe sempre cantávamos essa musica juntas desde que eu era pequena, fez parte da infância da minha mãe, então sempre teve um valor afetivo pra mim. E um dia minha mãe deu ideia de nós a gravarmos, mas nunca colocamos em prática. Até que surgiu o convite da Globo de gravar para a novela e MEU DEUS! Que notícia boa, além de ser a nossa primeira música numa trilha de novela da Globo, é também um grande sucesso dos anos 80 que marcou diversas gerações. Tentamos dar um novo ar pra música, mais moderno e atual, para combinar com a nossa galera também! Esperamos que gostem!”, contou Giulia.
Sobre a importância do cover, Laura diz que “com toda certeza é o cover mais importante que já gravamos. Além de ser um super hit dos anos 80 de Cindy Lauper, a nossa versão está na trilha sonora de “Espelho da Vida”. E pra mim particularmente é mais uma realização pessoal, é a primeira música que a nossa banda coloca na Globo e a minha segunda, pois em 2016 gravei “Cool For The Summer”, da Demi Lovato, para Malhação - Pro Dia Nascer Feliz.”  

A faixa também está disponível no Youtube – https://www.youtube.com/watch?v=Iyz2w1rolKU

Sobre BFF Girls:

Lançada em janeiro deste ano, “BFF”, faixa que leva o nome do projeto, foi a canção de estreia do trio. O clipe conta a história da amizade de Bia, Laura e Giulia e já passa das 4M de visualizações. “Meu Crush” foi a segunda inédita do trio. A canção estreou com vídeo que contou com participação dos atores Guilherme Seta (Crush Bia), Gabriel Santana (Crush Giulia) e Gabriel Moura (Crush Laura). A produção, que se passa em um colégio, onde as meninas dão uma lição nos crushs que as esnobaram, já passa da incrível marca de 36 milhões de visualizações em seu canal. A terceira canção inédita do grupo estreou recentemente, a música “Pode Parar” já tem mais de 4M de views e o cenário teve como inspiração a série “Riverdale”.
As meninas lançaram ainda uma série de covers de canções de sucesso que mostram suas afinidades musicais: “Havana”, da superstar Camila Cabello, que, na versão das BFF, já ultrapassa 12 milhões de visualizações no Youtube; “Trevo(Tu)”, do duo Anavitória, cujo vídeo possui mais de 7.8 milhões de visualizações no canal oficial BFF Girls; Um dos hits do cantor Shawn Mendes “There´s Nothing Holdin´ Me Back” alcançou 4.4 milhões de views na voz das meninas. Além desses sucessos, o trio também gravou o covers de "Drag Me Down", da extinta One Direction, que já alcançou 3.4 milhões de views, “Do Seu lado”, hit do Jota Quest, com 1.6M, “That’s My Girl”, do grupo Fifth Harmony, com 1.9M de views, “Cedo ou Tarde”, sucesso do extinto NX Zero; “New Rules”, de Dua Lipa, que já está com 1.7M de visualizações; recentemente gravaram o primeiro cover em espanhol, da canção “Estoy Aquí”, hit de Shakira, que já ultrapassou 1.2M de views e, em setembro, lançaram o cover de “Simples e Romântico”, do artista revelação Nicolas Germano. Depois disso, vieram os covers de “Passarinhos”, hit do Emicida com Vanessa da Mata, e “Um Anjo do Céu”, da banda Maskavo.

Contato para shows:

[News] Simone Zuccolotto investiga o papel político do cinema brasileiro em “De Semelhanças e Coincidências”


Série de quatro episódios traz entrevistas com Cacá Diegues, Lucia Murat e Jean Wyllys entre outros
Na sexta-feira, dia 2 de novembro, às 21h, estreia no Canal Brasil “De Semelhanças e Coincidências”, série com roteiro e direção assinados por Simone Zuccolotto, que busca trazer nova luz à relevância do debate político no cinema brasileiro. Através de entrevistas com alguns dos mais inspiradores diretores, artistas, escritores e filósofos do país, a atração apresenta uma reflexão sobre a diversidade de narrativas e representatividade e o papel modificador dos filmes na sociedade. O roteiro é pautado pelas discussões identitárias e desigualdades enfrentadas pelas minorias no audiovisual brasileiro.

Nos quatro episódios da série, Simone Zuccolotto entrevista os cineastas Jeferson De, Lucia Murat, Gabriela Amaral, Marcelo Caetano, Maria Augusta Ramos, Silvio Tendler, Eduardo Valente, Hilton Lacerda, Eduardo Escorel e Calí dos Anjos; o jornalista e deputado Jean Wyllys; a atriz Mariana Nunes; o poeta Francisco Bosco; e a artista multimídia Linn da Quebrada. O programa aborda produções do Cinema Novo, com o testemunho de um dos fundadores do movimento cinematográfico, Cacá Diegues, passando pelo processo da ditadura militar e, posteriormente, chegando aos lançamentos mais recentes.

“Política é um conceito muito amplo. A palavra ‘política’ vem de polis, evidentemente, são os assuntos relativos à cidade, portanto, diretamente relacionados à ideia de república, que vem, por sua vez, de ‘res pública’, que é a ‘coisa pública’. Política, portanto, é o campo de interesse comum, tudo aquilo que diz respeito à coletividade social é político. O que ficaria fora da política é a esfera privada. Hoje em dia a gente já perdeu totalmente este sentido da palavra mas, se a gente volta a pensar, ‘privado’ a palavra vem da experiência grega onde o valor maior de uma vida, estava na esfera pública. Então as pessoas que não tinha direito a uma vida pública, tinham uma vida privada – privada da esfera pública”. É assim, explicando o sentido mais amplo da palavra “política” e que algumas pessoas estão à margem desta vida “pública”, que o filósofo Francisco Bosco abre o primeiro episódio – e dá o tom de toda a série.


Ainda no episódio de estreia, Marcelo Caetano fala sobre de que forma o cinema que ele faz busca introduzir novos, personagens, novos sujeitos políticos, o que fica claro em “Corpo Elétrico”, que retrata homossexuais da classe operária, fora de questões tradicionais da dramaturgia LGBTQ+ - não é um filme nem que trata de questões românticas e nem de aceitação, por exemplo. Já Mariana Nunes fala de filmes como “Café com Canela”, de Ary Rosa e Glenda Nicácio, e “Nada”, de Gabriel Martins, que, apesar de terem elencos formados quase que 100% por atores negros, não falam sobre a temática racial. Gabriela Amaral fala ainda da importância das mulheres na direção, um dos pontos mais altos da pirâmide hierárquica, como forma de se contrapor à hegemonia do olhar masculino, heterossexual e branco no cinema.
De Semelhanças e Coincidências (2018) (4 x 25’)
Estreia: Sexta, dia 02/11, às 21h
Horário: Sexta, às 21h
Horários alternativos: sábado, às 15h30 e segunda, às 12h30
Classificação: 14 anos


[News] Assista "All Out Life", clipe inédito do Slipknot

Depois de um hiato de quatro anos sem lançamentos, banda surpreende os fãs com single e registro dirigido por M. Shawn Crahan

Depois de quarto anos sem lançamentos, Slipknot volta ao cenário fonográfico e surpreende os fãs ao liberar o single “All Out Life”, que chega acompanhado de videoclipe inédito, dirigido por M. Shawn Crahan.

Clique e assista agora ao clipe de “All Out Life”:

Conhecida pelo grande número de integrantes, a banda americana viu o sucesso comercial com os hits “Me Inside” e “Purity”. Disco de platina ainda no início dos anos 2000, Slipknot entrou na mesma época, com o álbum homônimo ao nome da banda, na lista dos “50 álbuns mais pesados de todos os tempos”. Entre os prêmios, certificações RIAA para seis projetos, além de oito nomeações ao Grammy Awards, todos na categoria “Best Metal Performance”, sendo vencedores em 2006, com “Before I Forget”.

Clique na sua plataforma digital favorita e ouça agora "All Out Life":

[News] Cat Dealers lança EP com três remixes do single "Tô de Férias"


Cat Dealers lança, nesta quarta-feira (31), um EP de remixes da faixa “Tô de Férias”, feita em parceria com Breno Miranda. Disponíveis nas plataformas digitais de áudio, as três versões da música ganharam novas roupagens nas mãos de Felguk, Talking Dirty e Michael Prado.


Lançada em junho deste ano, a versão original da música já ultrapassa 2.4 milhões de plays no YouTube 

Recentemente, a premiada revista britânica DJ Magazine divulgou o resultado da votação Top 100 DJ Mag, que busca ranquear os melhores DJs do mundo. O duo brasileiro subiu 26 posições e agora aparece como #48 na lista. Em 2017, Cat Dealers estreou na posição #74 e provou ser um dos artistas que mais subiram no novo ranking.
Do dia 15 ao dia 27 de Novembro, a dupla estará em turnê pelo México e Austrália.

Siga Cat Dealers nas redes sociais