03 agosto 2018

[Resenha] Dias de Despedida

Sinopse:Cadê vocês? Me respondam. Essa foi a última mensagem que Carver mandou para seus melhores amigos, Mars, Eli e Blake. Logo em seguida os três sofreram um acidente de carro fatal. Agora, o garoto não consegue parar de se culpar pelo que aconteceu e, para piorar, um juiz poderoso está empenhado em abrir uma investigação criminal contra ele.Mas Carver tem alguns aliados: a namorada de Eli, sua única amiga na escola; o dr. Mendez, seu terapeuta; e a avó de Blake, que pede a sua ajuda para organizar um “dia de despedida” para compartilharem lembranças do neto.Quando as outras famílias decidem que também querem um dia de despedida, Carver não tem certeza de suas intenções. Será que eles serão capazes de ficar em paz com suas perdas? Ou esses dias de despedida só vão deixar Carver mais perto de um colapso — ou, pior, da prisão?

O que eu achei:
Dias de Despedida foi um livro que eu não esperava sentir tantas emoções a flor da pele como eu senti. O livro possui uma carga emocional muito forte, pois um de seus maiores temas é lidar com a perda de alguém, não no sentindo de o findar de um relacionamento, mas o fato de ter que lidar com a morte. Carver, nosso protagonista está tendo que lidar com essa dor num nível inimaginável. Ele acabou de enterrar seus três melhores amigos e todos os planos e metas idealizados em conjunto se fora da pior forma.

Nosso protagonista é alguém que você cria uma empatia muito grande desde o início, sua personalidade é algo que nos faz nos afeiçoar com o mesmo e é observando suas forças e suas virtudes ao decorrer de cada página que você em certo ponto pode até se indignar com o fato de as pessoas culparem Carter e simplesmente desejarem que ele estivesse morto junto com seus amigos.

Jeff cria uma narrativa que você sente toda a carga emocional, mas não fica saturado em certo ponto. Mesmo o tema do livro seja o lidar com a morte ele não é composto totalmente por este assunto que para alguns pode ser até muito pesado de se lidar. Sua construção vai investir em momentos descontraídos que são executados com personagens que particularmente achei muito bem construídos e realocados em cada situação de uma maneira que deu super certo.


“Prepare o seu coração: este livro vai te destruir, te recompor, e definitivamente te transformar.”

Becky Albertalli, autora de Simon vs. a agenda Homo Sapiens


Esta é uma frase que me fez despertar o interesse pelo livro e ao terminá-lo é impossível não concordar com ela em gênero, número e grau. Durante toda a leitura você percebe uma evolução em todo o conjunto da obra e no final você se vê renovado e nos faz repensar muitos momentos da nossa vida. O autor vai lidar com o tema de uma forma que você nunca viu e com certeza vai te conquistar.


Por Juliana Brito

Nenhum comentário

Postar um comentário