03 julho 2018

[Resenha] Não Chore, Não

Sinopse:'No centro de Chicago, a jovem Esther Vaughan desaparece de seu apartamento sem deixar vestígios. Uma carta sombria dirigida a “Meu bem” é achada entre seus pertences, deixando sua colega de apartamento, Quinn Collins, se perguntando onde a amiga estaria e se ela era - ou não - a pessoa que Quinn achava que conhecia.Enquanto isso, em uma pequena cidade de porto de Michigan, uma mulher misteriosa aparece no tranquilo café onde Alex Gallo trabalha lavando pratos. Ele é atraído imediatamente pelo seu charme e beleza, mas o que começa como uma paixão inofensiva rapidamente se transforma em algo mais sinistro...
O que eu achei:
Não Chore, Não foi o primeiro contato que tive com Mary Kubica, sendo seu terceiro livro lançado no Brasil pela editora Planeta, foi uma história que me despertou um interesse muito grande por ser suspense e pela sua capa que achei uma das melhores da autora. Mas, o livro sofre do mal do "bonito por fora, mas não tão belo por dentro". A história tinha tudo para ser arrebatadora em todos os sentidos, mas a autora peca em alguns aspectos, o maior deles é na narrativa, o ponto chave de qualquer livro.

A história é que a jovem Quinn acorda certo dia e percebe que sua colega de apartamento, Esther,  desapareceu sem deixar nenhum indício. Sem ter certeza no que acreditar, se ela simplesmente foi embora ou se alguém causou seu desaparecimento, Quinn vai atrás de alguma explicação para justificar o sumiço da sua colega de apê. 

E como todo livro de suspense começa toda uma trama a ser desenrolada e com diversas pontas soltas que você fica em uma reflexão durante todo o livro para tentar adivinhar o desfecho. Posso assegurar que a história vale muito a pena em sua conclusão, mas como citado acima, o problema por parte da autora foi desenvolver a história de forma instigante e envolvente, que no caso ela não conseguiu. Em diversos momentos eu realmente pensei em desistir do livro porque sua narrativa é muito arrastada. Sem muitas perspectivas e com mais contras do que prós o livro te leva num ritmo muito lento e com personagens que careceram de uma apimentada em suas personalidades, porque a última coisa que você quer com uma história nesse ritmo é ter de ser lida por alguém chato. E o livro sendo narrado em primeira pessoa foi algo que mais me atingiu, pois particularmente minhas leituras fluem muito mais quando são em terceira pessoa. 

Tendo duas pessoas contando a história (Quinn e Alex) você ainda cria uma esperança que tenha um propósito e que tudo venha se alinhar até o final do livro. Em contrapartida tudo o que eu esperava para o final da história passou bem longe do desfecho de fato e foi algo que agregou muitos pontos positivos para a história. 

Não Chore, Não é um suspense que pode te dar nos nervos, mas no final vai valer a pena. Embora sendo meu primeiro contato com a autora e como diz o ditado que a primeira impressão é a que fica, creio eu que ainda poderei ser surpreendido por Kubica em outas tramas.


Por Leonardo Alves

Nenhum comentário

Postar um comentário