16 janeiro 2018

[Resenha] Mindhunter - O primeiro Caçador de Serial Killers americano

SinopseEm detalhes assustadores, Mindhunter mostra os bastidores de alguns dos casos mais terríveis, fascinantes e desafiadores do FBI.Durante as mais de duas décadas em que atuou no FBI, o agente especial John Douglas tornou-se uma figura lendária. Em uma época em que a expressão serial killer, assassino em série, nem existia, Douglas foi um oficial exemplar na aplicação da lei e na perseguição aos mais conhecidos e sádicos homicidas de nosso tempo. Como Jack Crawford em O Silêncio dos Inocentes, Douglas confrontou, entrevistou e estudou dezenas de serial killers e assassinos, incluindo Charles Manson, Ted Bundy e Ed Gein.
O que eu achei?
Você acredita que o meio influência o indivíduo, ou o mesmo já nasce formado?
Essa pergunta é a que cerca os analistas e os que julgam um Serial Killler.

John Douglas, trabalhou durante 25 anos no FBI, analisando os perfis do mais conhecidos Seriais Killers do Século; fundou a Unidade de apoio investigativo, que antes era conhecida como "Ciência comportamental", fez sua unidade ser reconhecida, e mostrou a importância deste trabalho atrelado as forças policiais.

O livro conta inicialmente a história de Douglas, desde sua infância, sua adolescência, sua passagem pelo exército, até seu ingresso no FBI, e como o estresse e o excesso de trabalho quase o levaram a óbito.

O Ingresso na área psicológica, foi de extrema importância, para que John obtivesse exito na academia, para que ele pudesse definitivamente "entrar" na cabeça do assassino, afinal, "não é possível entender a obra, sem entender o artista".

Mindhunter tem sua narração em primeira pessoa, e ele conta em detalhes minuciosos, e angustiantes, as conversas, os aspectos e os detalhes dos mais intrigantes casos no qual participou. Tamanha frieza, e personalidade dissimulada nos leva a reflexão, igualmente a que John menciona, se estes poderiam ser reabilitados e voltar a viver em sociedade, e o que foi possível ver em muitos é que não, tamanha artimanha e manipulação, de sua personalidade, que só você lendo para entender.

A forma que John analisa os detalhes é fascinante e de tamanha inteligencia, que é fácil se encantar e admirar seu trabalho, fascinante narrativa e de fácil assimilação, torna a leitura gratificante e como dito anteriormente reflexiva, ainda mais quando se pensa em John como personagem principal na trama, isso nos aproxima ainda mais da leitura. 

Vale ressaltar que o Livro, deu origem a série homônima na Netflix, e que ambas se aproximam, e detalhes impressionantes, recomendo ambos.

" Mas 25 anos de observação também me provaram que criminosos são mais criados do que nascidos, o que significa que, em algum momento da vida, alguém que exerceu uma influência negativa muito forte  poderia ter exercido uma influência positiva muito forte"

Por Juliana Brito



2 comentários

  1. Juliana!
    Confesso que vi tanta propaganda do livro da série e também tive a impressão que era uma série policial com a participação do John Douglas e não uma biogradia sobre a vida dele. Não que não goste de biogradias, até gosto, mas achei que seria algo diferente.
    Como ganhei a Netflix das filhotas, vou ver se assisto a série primeiro e se gostar, leio o livro depois.
    Mas pelo jeito, ainda assim o livro foi bom na sua opinião, né? Vamos ver…
    Novo Ano repleto de realizações!!
    “Meta para o Ano Novo? Ser feliz!” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    1º TOP COMENTARISTA do ano 3 livros + Kit de papelaria, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  2. Nem sabia que esse livro existia, até que houve o lançamento da série da Netflix e soube que era baseada em um livro. Não assisti a série, mas pelo que falaram, foi meio decepcionante. Lendo a resenha, também não me interessei muto, apesar de gostar muito de livros policiais. Talvez algum dia dê uma chance.

    ResponderExcluir