31 março 2017

[Resenha] Entre Umas e Outras

Nesta inebriante graphic novel autobiográfica, Julia Wertz (criadora da cultuada HQ The Fart Party) documenta o ano em que decidiu ir embora de São Francisco, sua cidade natal, para ganhar as ruas desconhecidas de Nova York. Mas não se engane: esta não é aquela história manjada de redenção da jovem que supera todas as adversidades ou bobagens desse tipo. É um livro pra lá de engraçado – às vezes incisivo, é verdade –, repleto de ilustrações divertidas, de um humor ácido e de muita autodepreciação. De quadrinho em quadrinho, Wertz passa por quatro apartamentos toscos, sete empregos sofríveis, problemas familiares, viagens fracassadas e uma infinidade de garrafas de uísque.
O que eu achei?
Depois de muito tempo sem ler uma HQ me encantei com a premissa de Entre umas e Outras, história autobiográfica da autora Julia Wertz. Nesta divertida história em quadrinhos ela conta como tudo deu errado na sua mudança para Nova York, sério tudo dá muito errado, quando pensamos que algo finalmente dará certo...dá errado. Desde apartamentos horrendos, trabalhos medíocres, alcoolismo, a HQ conta todos os baixos da vida e ainda contém críticas políticas e sociais bem bacanas que nos fazem refletir sobre alguns pontos.


Recém-formada, desempregada, acabou de levar um pé na bunda, com um irmão viciado, dormindo no closet para alugar o quarto e conseguir uma renda extra Julia vê que São Francisco, a cidade onde cresceu não é mais para ela, assim decide se mudar para Nova York, mesmo tendo uma péssima experiência na sua única visita na cidade ela empacota tudo o que tem em duas caixas e vai recomeçar sua vida. Só que as coisas não acontecem como o planejado.

Como em qualquer mudança Julia não consegue evitar os comparativos da sua antiga cidade com a nova, e ela compara tudo mesmo, Pizza, comida mexicana, estações do ano, linhas de metrô, moradores e até mesmo os mendigos, sim ela compara os mendigos, e descobre que os estereótipos são ao mesmo tempo falso e verdadeiros, cada cidade tem seus prazeres e desprazeres e que cabe a nós escolher o que e onde vale a pena nos adaptarmos ou não.
Quando Julia cansada de sua vida fracassada resolve consolar suas mágoas no álcool e entra numa vibe péssima de alcoolismo a história toma um rumo tenso, por mais que saibamos que ela está bem já que se trata de uma história autobiográfica, é impossível não se preocupar com os rumos que a vida dela pode tomar baseada nessas escolhas, o que também nos faz pensar sobre nossa própria vida e a forma como encaramos nossos fantasmas e no que isso vai impactar no futuro.

Com uma pegada divertida a HQ consegue abordar assuntos considerados tabu, por não falar diretamente como o tema do livro e sim inseri-los dentro do contexto que acontecem, ou seja, no cotidiano das pessoas.Com diálogos super corriqueiros é muito rápido e gostoso ler e se divertir com as histórias vividas por Julia, o traço também facilita muito a leitura, é lindo, fluido e completamente preto e branco, o que particularmente eu amo.

[News]Coletiva de Imprensa e Pré-estreia A Glória e a Graça

   
A coletiva de imprensa ocorreu na terça, dia 22 de março no hotel Mercure (também conhecido como Mourisco, um imponente prédio de vidro espelhado na praia de Botafogo.
Estavam presentes o diretor, o roteirista e as três atrizes principais. Eles responderam perguntas da platéia e responderam algumas questões do site:

1) De onde veio a ideia para o aneurisma?
Mikael (roteirista): Eu pensei em algo que pudesse ser terminal, que pudesse trazer a sensação de urgência , que a deixasse desesperada por apoio familiar e ela vai atrás do irmão, que sabe que é confiável. Achei interessante para desenvolver a dinâmica entre as irmãs.

2) Qual foi a maior dificuldade que você enfrentou para fazer esse filme?
Flávio (diretor): No início do projeto, para levantar recursos, foi um pouco difícil de conseguir porque trata de um assunto controverso, tentamos conseguir um patrocínio da Ancine, da Globo Filmes, da FSA (Fundação Setorial de Audiovisual). Quando o projeto chegou a mim, a Carolina e a Sandra já faziam parte do projeto, já tinham lido o roteiro,ela ficou perfeita e eu já tinha trabalhado com ela. A partir daí, o filme engrenou.

3) Que mensagem para os transgêneros você pretende passar com o filme ?
Carol Marra (atriz): Vamos nos unir, vamos ser amigas,é uma classe desunida, temos os mesmos dilemas, sonhos, as histórias são iguais, só muda o CEP. Nunca sofri muito preconceito mas infelizmente, sei que ele existe.

4) Como foi o processo para entrar na personagem da Graça, para entender sua angústia?
A primeira coisa foi entender quem era ela como mulher, sua profissão (massoterapeuta), cuidar de dois filhos, é uma história pregressa; depois de estabelecer isso, eu sou intuitiva, vou na sensação da cena do momento, tem as situações cotidianas, depois vem as cenas em que ela está sozinha e o desespero é mostrado. Ela não tem coragem de contar até o momento de arranjar alguém confiável para tomar conta deles, aí ela decide retomar o contato com o irmão. É uma personagem contemporânea, tem que ter empatia para se colocar no lugar dela e receber a vibração dos outros membros do elenco.

Pré-estreia A Glória e a Graça
Com estreia marcada para dia 30 de março, o drama dirigido por Flávio Tambellini teve sua pré-estreia essa quarta, dia 22, no cinema Odeon, localizado na Praça Marechal Floriano, centro do Rio de Janeiro.
Os atores principais estavam lá (Carolina Ferraz, Sandra Corveloni e Carol Marra) além do próprio diretor e do roteirista Mikael Albuquerque, os atores que fazem os filhos de Graça,Papoula (Sofia Marques) e Moreno (Vicente Demori) além  dos membros da equipe técnica.Carol Marra enviou uma mensagem de apoio às pessoas transgêneras, que elas precisam juntarem forças,
Fábio agradeceu a presença de todos presentes, falou um pouco das dificuldades em produzir o filme, que surgiu de uma ideia concebida por ele há 9 anos atrás. O orçamento estava apertado e eles tiveram que investir do próprio bolso.
O resultado você vai poder conferir a partir do dia 30 de março, quando A Glória e a Graça entrar em cartaz.

[Crítica] Negação


Sinopse:
Deborah E. Lipstadt (Rachel Weisz) é uma conceituada pesquisadora que, em seu livro, ataca veementemente o historiador David Irving (Timothy Spall), que prega que o Holocausto não existiu e é uma invenção dos judeus para lucrar mais. Julgando-se prejudicado pelo que foi publicado, Irving entra com um processo por difamação contra Deborah. Só que, pelas leis britânicas, em casos do tipo é a ré quem precisa provar a veracidade da acusação. Logo ela se vê em uma disputa judicial que, mais do que envolver dois estudiosos da História, pode colocar em dúvida a morte de milhares de judeus durante a Segunda Guerra Mundial.
O que eu achei?
Para preparar sua defesa,Lipstadt e Rampton visitam o campo de concentração em Auschwitz na Polônia, acompanhados de um estudioso local enquanto o time de pesquisadores pesquisa os textos publicados de Irving, em busca de algo que possa incriminá-lo.Lipstadt fica frustrada quando seus advogados decidem diminuir sua participação no caso ao mínimo possível, argumentando que irá aumentar suas chances de conquistar o juiz.

Um sobrevivente do Holocausto pede para Lipstadt a oportunidade de prestar seu testemunho mas Rampton e Julius o impedem,alegando que eles são falhos e é melhor focar nas falhas do oponente.

Irving tenta várias estratégias para defender sua ideia da inexistência do Holocausto, como  dizer que as câmeras de gás não existiram porque não havia buracos no teto para o Zyklon B passar. O júri parece estar mais inclinado a acreditar em Irving até que os advogados de Lipstadt surgem com uma carta escondida na manga.


O diretor britânico é consagrado por produções como Chattachoochee (1989) com Gary Oldman O guarda-costas (1992) e Temple Grandin (2010). Nessa adaptação do livro de Deborah Lipstadt, "History on trial: my day in court with a Holocaust denier" da editora Penguin, a história do processo entre os historiadores é narrada.Um motivo para assistir o filme é entender as diferenças entre os sistemas legais americano e britânico. O julgamento ocorreu no High Court of Justice (Alta corte de justiça britânica) e de acordo com o sistema britânico, o onus probandi, o dever de provar que é inocente, é do acusado, cabe a Deborah e seu time provarem que estão corretos. Confesso que quando soube que o filme era de julgamento, me desanimei um pouco porque não curto muito esse gênero mas esse foi um dos melhores que já vi. Timothy Spall é renomado por interpretar vilões e sua atuação como David Irving ficou perfeita.Destaque também para Tom Wilkinson e Andrew Scott, brilharam como os advogados de defesa.

  Curiosidade: há duas cenas no filme mostrando Deborah praticando jogging e olhando a estátua de Bodica e sua carruagem no píer de Westminster. Bodica foi uma líder celta na época da invasão romana na Inglaterra.


Trailer: 



30 março 2017

[Crítica]Oscar 2017-Manchester à beira-mar

 Lee Chandler (Casey Affleck) é forçado a retornar para sua cidade natal com o objetivo de tomar conta de seu sobrinho adolescente após o pai (Kyle Chandler) do rapaz, seu irmão, falecer precocemente. Este retorno ficará ainda mais complicado quando Lee precisar enfrentar as razões que o fizeram ir embora e deixar sua família para trás, anos antes. 
O que eu achei?
Lee trabalha como zelador em uma empresa de móveis em Quincy, subúrbio de Boston.
Ele é um homem recluso e de poucos amigos e seu comportamento é assim por causa de um incidente que ocorreu anos atrás e da amargura pela separação de sua esposa Randi, ocorrida anos atrás.Quando Lee está no trabalho, ele recebe um telefonema de seu irmão, Joe Chandler (Kyle Chandler)que estava doente pois fora diagnosticado alguns anos antes com insuficiência cardíaca congestiva. Ele acabara de se divorciar de sua esposa e os médicos lhe mandaram passar uma temporada extra no hospital. Lee dirige para Manchester mas no caminho recebe a notícia que seu irmão falecera. Ele o nomeou guardião de seu filho,um garoto de 16 anos chamado Patrick e deve cuidar de sua herança até que ele atinja a maioridade com 18 anos.
Ele tem que enfrentar vários obstáculos para lidar com o sobrinho: é um adolescente típico,ele sai com seus amigos, tem duas namoradas (que não sabem uma da outra), os membros de sua banda, joga hóquei no gelo, manter o barco de seu pai (Joe era um pescador)que está se deteriorando, que é algo além do que as finanças dele permitem.Lee não apenas está despreparado para ser tutor de Patrick, ele também não está pronto para voltar para Manchester (onde Randi ainda mora) e enfrentar os fantasmas de seu passado. A mãe do garoto, Elise, é uma alcoólatra foragida e seu paradeiro é desconhecido. Eles terão que achar um jeito de dar tudo certo.  
O filme que rendeu o Oscar de Melhor Ator à Casey Affleck foi dirigido pelo mesmo diretor de Gangues de Nova York, Máfia no divã, Conte comigo e Margaret,nos apresenta a história de Lee Chandler.
Dos 10 filmes indicados, esse foi o mais fraco na minha opinião. Arrastado, monótono e a atuação de Casey não foi nada especial. Acho que o prêmio deveria ter ido para Denzel, Viggo ou Andrew deveriam ter ganho. Nota:6 
Curiosidade: Foi o primeiro filme lançado por um serviço de streaming (Amazon Video) a ser indicado para o Oscar de Melhor Filme.
Trailer:


[Agenda] Conscientização do Autismo

5ª Semana de Conscientização do Autismo
Autismo e suas Possibilidades
02 A 10 DE ABRIL 2017

Diante das expectativas de cada um, como ver o que pode ser feito ao invés de olhar só para o que não pode ser feito, para o que não acontece e para o que não dá certo?

No final do ano de 2007, a Organização das Nações Unidas estabeleceu o dia 02 de abril como o Dia Mundial de Conscientização do Autismo a fim de chamar a atenção da população acerca dessa questão. Estima-se que esta complexa síndrome atinja cerca de 2 milhões de pessoas no Brasil e, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 70 milhões no mundo. 

Celebrando 5 anos da Semana de Conscientização do Autismo do CCBB Educativo, entre os dias 02 e 10 de abril, o CCBB Rio convida o público a refletir sobre a inclusão de pessoas autistas, inclusive nos espaços culturais. 

A partir do tema Autismo e suas possibilidades” a programação reúne especialistas como a doutora em psicologia Roberta Caminha, a fonoaudióloga e pioneira em inclusão escolar Adriana Fernandes, o jornalista Luiz Fernando Vianna, entre outros e traz encontros, capacitações e visita mediadas especialmente desenvolvidas para autistas e público interessado.

Programação:
Mesa Redonda -  03 de abril – 18h
Público alvo: Pessoas autistas, familiares, professores, educadores, pedagogos, terapeutas, psicólogos e outros interessados.

COMUNICAÇÃO ATRAVÉS DO AFETO - Adriana Fernandes
Meu filho vai falar? Vamos conversar sobre essa e tantas outras perguntas que envolvem a dificuldade de comunicação no TEA. A fala é a única forma de expressão? O que motiva uma pessoa a falar? O que a impede? Pensando que a linguagem tem função social e acontece em duas vias, ela só tem sentido se existe o outro. Quando são os pais que estão na outra via, como se expressam com o filho? Como podem criar um ambiente favorável à potencialização do desenvolvimento da linguagem? Vamos debater esse ponto de vista? O conceito de afeto que irei apresentar vai além do carinho, do afago, ele traz a importância de afetar, impactar o outro com nossos gestos, voz, expressões e movimentos. É um convite a refletir sobre a importância da mudança das nossas atitudes para despertar a motivação para a comunicação.
(Adriana Fernandes é Fonoaudióloga formada pela UFRJ, com 12 anos de experiência em atendimento clínico no Rio de Janeiro e consultoria para pais e profissionais em todo Brasil. Especialista em Inclusão Escolar e Transtornos do Espectro Autista pela PUC-Rio. Certificação Internacional em Integração Sensorial pela Clínica Ludens/University of Southern California. Terapeuta DIR/Floortime - Profectum/EUA.)

UM OLHAR ALÉM DO AUTISMO - Roberta Caminha
A importância de se trabalhar focando nas potencialidades, no processo, nas diferenças individuais e na capacitação das famílias.
(Roberta Caminha é psicóloga, doutora em Psicologia pela PUC-RIO. Criadora do canal e da página "Além do Autismo", que tem por objetivo difundir o conhecimento da área. Idealizadora do CONPSAU- Circuito Online de Palestras sobre o Autismo.)

VAMOS FALAR SOBRE O AUTISTA ADULTO? -   Luiz Fernando Vianna
Meu filho Henrique está com 16 anos. Sua trajetória acidentada com mudanças frequentes de país muito provavelmente prejudicaram suas possibilidades de desenvolvimento. Porém, ao contrário do que partes mais amargas do meu livro podem indicar, não seria impossível que ele avançasse na comunicação, na socialização, na realização de atividades cotidianas. É importante ressaltar que o autista adulto não é um caso perdido, como alguns terapeutas e o poder público querem com frequência nos fazer crer. É preciso pensar no potencial do adulto com autismo e no seu direito a uma vida satisfatória.
(Luiz Fernando Vianna é jornalista e trabalhou no O Globo e Folha de S. Paulo. Autor de livros sobre música popular está lançando em 2017 Meu menino vadio - A história de um garoto autista e seu pai estranho.)

A VIVÊNCIA DE UMA MÃE - Tatiana Henrique
Tatiana Henrique vai relatar um pouco da sua vivência cotidiana como mãe de um filho autista, trazendo também uma reflexão sobre a sua experiência com este público quando atuou como educadora de museus e escola.
(Atriz, formada pela Escola Técnica de Teatro Martins Pena. Mestra em Memória Social, na UniRio, licenciada em Letras, pela UNESA. Atua com Contação de Histórias há 15 anos.)


Ação de acolhimento e conscientização na rotunda do CCBB
Data: 02 a 10 de abril
Horário: 09h às 18h
Público alvo: Pessoas autistas e seus familiares/responsáveis
Três ações educativas fazem transformam o térreo do CCBB em um espaço de sensibilização e troca de informações.
O corpo macio
Na rotunda criaremos espaços “lounges” com tapetes e almofadas com formas de partes do corpo. Além de poderem brincar, deitar e sentir as texturas do material, este público poderá a partir das formas corporais dos objetos, fazer a relação de conhecimento com o seu próprio corpo. De uma maneira prazerosa e divertida, essas almofadas são objetos mediadores que constroem uma consciência corporal em que participa da ação. 
Você sabia?
O autismo é uma realidade que vem sendo cada vez mais estudada. O modo de vida das pessoas com autismo ainda é pouco conhecido, gerando preconceito e consequente limitação à essas pessoas e suas famílias e cuidadores. A ação Você Sabia? trará para as pessoas que tiveram pouco ou nenhum contato com esta realidade, informações que servirão para expandir o olhar do público diante deste tema tão importante e cada vez mais urgente.
Que sensação tem?
Imagine se pudéssemos experimentar a sensação de um corpo que viaja pela lua, ou consegue encolher a ponto de caber dentro de um formigueiro ou ser leve a ponto de ser carregado pelas nuvens? Nesta atividade, a brincadeira é sentir diferentes silhuetas corporais feitos de materiais que possam transmitir a sensorialidade inventiva de espaços inusitados ao nosso cotidiano. A partir do mistério, uma grande parede com portas e gavetas irá despertar a curiosidade do público que ao abri-las, irá encontrar grandes possibilidades de experimentações sensoriais.

Visitas agendadas
Durante os dias da semana que vão do de 2 ao dia 10 de abril, o Programa Educativo do CCBB irá oferecer horários de agendamento para instituições que atendam esse público bem como escolas com turma de inclusão de autistas nas exposições “Entre nós - A figura humana no acervo do MASP e a Reinvenção da Pintura do artista brasileiro Abraham Palatnik.
05 de abril - 10:00 e 15:00
7 de abril - 10:00 e 15:00
10 de abril - 10:00 e 15:00

Contação de histórias
A contação visa elaborar conceitos presentes nas exposições em cartaz a partir da narrativa e da oralidade, apresentando uma outra forma possível ao público de se relacionar com o conteúdo conceitual e artístico trazido pela exposição em residência. A atividade trabalha também o patrimônio imaterial brasileiro, pesquisando e divulgando nossos contos tradicionais e o imaginário popular e sua tessitura oral.
02, 08 e 09 de abril - 11h e 16h
03, 05, 06 e 07 – 13h e 17h

Livro Vivo
A atividade busca a interação com o espaço da biblioteca, desenvolvendo a relação dos visitantes com o objeto livro, além do ato de ouvir e contar  histórias, estimulando o interesse pela leitura.
Datas: 02, 08 e 09 de abril
Horário: 13 e 17h

Musicando
Atividade de música voltada para a interação, sensorialidade e diversão dos participantes. O tema da atividade será baseado na exposição “Entre Nós - A figura humana no acervo do MASP” sendo a figura humana e o corpo os elementos chave da experimentação.
Datas: 02, 08 e 09 de abril
Horário: 14h

Agendamento CCBB Educativo - 38082070 /38082254

[Agenda]Cabaret Rouge- Espetáculo no Tijuca Tênis Clube

A história se passa em 1899 e gira em torno de um jovem poeta, Christian, que desafia a autoridade do pai ao se mudar para Montmartre, um bairro boêmio em Paris.Considerado um lugar amoral, onde todos frequentadores são viciados em absinto. Christian é acolhido por Junior e seus amigos, cujas vidas são centradas no Cabaret Rouge. O Rouge é salão de dança, clube noturno e um bordel cheio de glamour. Envolto em uma atmosfera de luxúria, vícios, eletricidade e - o que é ainda mais chocante - de cancan. Christian se apaixona pela mais bela cortesã do Cabaret Rouge, Samanta, que por uma cartada de sorte do destino, aceita protagonizar uma peça
teatral dentro do bordel, levando ambos a conhecer a graça e a verdade do mais puro amor entre um homem e
uma mulher.


Detalhes técnicos
Elenco: CORA BELGMAN, RODRIGGO GOMES, CRISTIANO CAMOZZI, FABIO TOKAY, EVERTON RODRIGUES, LILIANE RODRIGUES, PAULO PINNA, JOYCE BARROSO
Texto e direção: Rodriggo Gomes
Produção: GRP Midias & Entretenimento
Operação de Luz: Fabrício Dayano
Operação de Som: Rafaela Manaira
Coreografia: Paulo Pinna
Figurinos e Cenário: Cia Sifuxipá
Músicas: Rodriggo Gomes e Rodrigo Nice

Detalhes espetáculo
Teatro Henriqueta BriebaIngressos: R$ 40,00 Inteira / R$ 20,00 Meia
Sábado: 20:00h
Domingo: 20:00h
Classificação: 16 anos
Duração: 70 minutos
Gênero: Drama / Romance / Musical​​​​​​​​​

[Resenha] Do que você tem medo?


VOCÊ PODE VENCER O MEDO! 
TODOS TEMOS MEDO DE ALGO, seja do fracasso, sucesso, solidão, multidão, morte, vida. A lista é interminável. Ninguém está imune ao medo. O medo assombra os fracos e os fortes, os jovens e os velhos, os pobres e os ricos. É o elemento que nos coloca a todos no mesmo nível. 
Alguns medos assaltam-nos apenas momentaneamente, passando quase tão rapidamente quanto surgem. Mas outros nos atacam por toda a vida. Instalam-se na mente aniquilando todo senso de segurança e, por vezes, chegam a assumir o controle da vida. 
Mas não tenha medo! 
Há esperança. 
Em Do que Você tem Medo? David Jeremiah Identifica e explica o que está no cerne de nove de nossos maiores medos e estabelece um plano bíblico para vencer cada um deles. Examina também um determinado medo que deve fazer parte de nossa vida diária: o temor de Deus.

O que eu achei? 
Este é mais um dos livros que tive o prazer de ganhar na Aliança de Blogueiros. Lá eu tive a chance de ver o trabalho da CPAD (Casa Publicadora da Assembléia de Deus) e comecei a ver que o trabalho ia muito mais além do que pregar uma religião. Um ótimo exemplo disso é o livro de David Jeremiah. 

Aqui ele trabalha muito a questão de que os nosso medos vêm à tona quando temos a falta da fé. Independente da sua religião/crença, vale para tudo. Se você não acredita que pode fazer aquilo, não adianta. Não vai acontecer. E o pastor consegue desenvolver isso muito bem. Apesar de não ser fã de livros de auto ajuda, confesso que amei ele ter parado em minhas mãos de alguma forma.

Jeremiah trabalha a questão do medo em volta de dez formas do sentimento se manifestar, que são: Depressão, morte, solidão, derrotas, perigos, desaprovação, enfermidades, dívidas, tragédias e divindades. Sendo a última relacionada ao temos a Deus, você encontra o forte discurso do cristianismo em cima do tema. 

Pode ser algo bom ou ruim para você. Se você fizer como eu, decidir absorver aquilo além das visões que você tem padronizadas sobre a religião, com certeza terá 100% de aproveitamento da lição que o pastor dá. Agora, também não adianta você fechar os olhos e agir de forma ignorante com os ensinamentos. 

Sei que é controverso falarmos sobre um livro ligado ao cristianismo aqui no blog, logo nestes tempos onde debatemos assuntos que a doutrina acusa como um mal. Temos que ir além disso, ao mesmo tempo que discordamos, temos que passar a analisar, também, esses temas como um ensinamento. Tudo tem seus prós e contras, e se formos extremistas com tudo a nossa frente, acabamos não vivendo. 

Falei isso tudo, porque sabemos que alguns devem torcer seus narizes para este tipo de livro. Entendam que ele é algo muito maior do que isso tudo, e que ele está aqui para ajudar. 

Enfim, é uma leitura muito objetiva e leve, que você consegue ler sem qualquer problema. Super recomendo! 

29 março 2017

[Crítica]Oscar 2017- Estrelas além do tempo

1961. Em plena Guerra Fria, Estados Unidos e União Soviética disputam a supremacia na corrida espacial ao mesmo tempo em que a sociedade norte-americana lida com uma profunda cisão racial, entre brancos e negros. Tal situação é refletida também na NASA, onde um grupo de funcionárias negras é obrigada a trabalhar a parte. É lá que estão Katherine Johnson (Taraji P. Henson), Dorothy Vaughn (Octavia Spencer) e Mary Jackson (Janelle Monáe), grandes amigas que, além de provar sua competência dia após dia, precisam lidar com o preconceito arraigado para que consigam ascender na hierarquia da NASA.

Já fizemos a crítica de Estrelas além do tempo anteriormente, mas a Maisa me solicitou esta matéria do Oscar 2017, portanto segue minha opinião.

O que eu achei?
White Sulphur Springs, estado da Virgínia Ocidental,1926. No ensino fundamental,a jovem Katherine Coleman (Lidya Jewett) está esperando, nomeando as figuras geométricas em um vitral enquanto seus pais conversam com um funcionário da escola.A direção quer enviá-la para uma escola para crianças superdotadas-ela é um prodígio, uma gênia em matemática.A única escola para crianças superdotadas ´´de cor´´ começa na sexta série e Katherine só tem 8 anos então ela terá que pular algumas séries.Isso preocupa seus pais mas eles concordam que será o melhor para ela.Os professores fazem uma vaquinha para ajudá-los com a mudança.

Em Hampton, Virginia, 1961, uma Katherine já adulta mas agora conhecida como Katherine Goble, está presa na estrada com duas colegas, Dorothy Vaughan (Octavia Spencer) e Mary Jackson (Janelle Monáe) quando um policial racista pede para elas se identificarem.Quando elas explicam que trabalham na NASA, ele fica surpreso ao saber que a NASA contrata mulheres negras mas as permite passar. 
Ao chegar ao Langley Research Center, elas assistem um vídeo sobre o lançamento do lançamento do satélite russo Sputnik 1. Os oficiais da NASA estão preocupados que ele seja usado para espionar os EUA. O responsável pelo setor ordena que Al Harrison (Kevin Costner) os leve até lá porque para fazer valer a pena o gasto que eles terão com essa missão, terão que enviar um astronauta ao espaço.Um homem na platéia, Paul Stafford (Jim Parsons) pergunta quem ele é e ele responde que é o engenheiro-chefe.

As 3 trabalham na West Area Computing, separado do resto do Research Center, juntamente com outras mulheres negras que trabalham como computadores-o que significa que elas faziam os cálculos todos à mão. O filme mostra várias dificuldades que elas passam, como ser obrigadas a ir ao banheiro no outro lado do campus,demorar pra voltar e tomar uma bronca do chefe. Katherine, Dorothy e Mary foram as responsáveis por calcular as trajetórias da Apolo 11 e da Apolo 13 e o Presidente Obama concedeu a Medalha da Liberdade a Katherine. Ela se aposentou em 1986. 
Mary e Dorothy morreram em 2005 e 2008, respectivamente.
   
Meu favorito de todos os indicados, estava torcendo para ele vencer Melhor Filme.
Um emocionante relato sobre superação de barreiras, determinação e a luta pelas mulheres por seus direitos. Se eu fosse membro da Academia, teria dado meu voto a ele. Nota:9,5 

[Agenda] Baile Charme no Circo Voador

BAILE CHARME COM DJ MICHELL NO MAR DE MÚSICA
 
 Sim, o evento que já virou xodó dos cariocas está de volta! Dia 31 de março, o MAR de Música abre a sua programação 2017 com uma edição especial para comemorar o 4º ano do Museu. E quem comanda a festa é ninguém menos que DJ Michell, que vai fazer um Baile Charme de primeira nos pilotis. Idealizado pelo Circo Voador em parceria com o Museu de Arte do Rio, o MAR de Música já entrou para o calendário afetivo da cidade.

Falou em Charme, falou em DJ Michell. Afinal, ele é praticamente uma sumidade no assunto, com um currículo de respeito lotado de grandes realizações que ampliaram a cultura Black do subúrbio carioca. Pra ter uma ideia, são mais de 20 anos realizando bailes mega concorridos e, nesta edição comemorativa do MAR de Música, não deve ser diferente já que o DJ é um dos mais queridos pelos adeptos do “passinho do charme”. Prepare a coreografia e vem pro Baile!

Primeiro MAR de Música do ano com Baile Charme comandado pelo DJ Michell! É pra começar já na suinguera. É sexta, dia 31 de março, a partir das 18h, no pilotis do Museu de Arte do Rio. ​Esse ano a entrada vai ser um pouquinho diferente e custará R$ 6 (inteira)/3 (meia). Lembrando que a meia vale para cariocas, moradores da cidade do Rio de Janeiro que trouxerem comprovante de residência, pessoas com até 21 anos, estudantes, pessoas com deficiência e quem apresentar ingressos do MAR ou do Circo Voador referentes ao mês de março.

Serviço:
MAR DE MúSICA
Atração: Baile Charme com DJ Michell
Data: Sexta, 31 de março de 2016
Local: Pilotis do Museu de Arte do Rio (Praça Mauá, 5 - Centro/RJ - 3031-2741)
Horário: 18h
Ingressos:
*R$ 3 (cariocas | moradores da cidade do Rio de Janeiro | pessoas com até 21 anos | estudantes | deficientes | pessoas que apresentarem ingressos do MAR ou do Circo Voador referentes ao mês de março)
*R$ 6 (inteira)

[Resenha] As cordas mágicas


Francisco Presto nasceu numa pequena cidade da Espanha em plena guerra civil. Com a infância marcada por tragédias, Frankie se torna pupilo de um professor de música cego, que se dedica a lhe ensinar tudo o que sabe. Ao completar 9 anos, ele foge para os Estados Unidos carregando consigo apenas seus bens mais preciosos: um violão e seis cordas mágicas. Com um talento fora do comum para tocar e cantar, Frankie rapidamente alcança o estrelato e influencia o cenário musical do século XX, apresentando-se ao lado de nomes consagrado como Elvil Presley e Little Richards. No entanto, seu dom se transforma em um terrível fardo quando ele percebe que pode afetar o futuro das pessoas: uma corda de seu violão fica azul cada vez que uma vida é alterada. No auge do sucesso, assombrado por seus erros e por seu estranho poder, Frankie sai de cena por anos, apenas para ressurgir para um espetacular e misterioso adeus.
O que eu achei?
O que dizer de um livro narrado em 3ª pessoa por nada mais que a música? Essa a história de um homem chamado Francisco Priesto, cantor, filho do mundo, ou melhor: Frankie Priesto. Acredite esta viagem será emocionante!

Francisco nasceu num mundo desolado por uma guerra, onde sobreviver era o único mal necessário, ele foi concebido dentro de uma igreja, debaixo de um manto de uma freira, enquanto os militares tentavam invadir e descobrir traidores numa Espanha devastada por um ditador. Logo a pós seu nascimento, Frankie chorava sem parar, até o momento em que ouviu uma melodia cheia de lamento chamada Lágrima, a partir deste momento simples ele passou a amar a música. 

Carmecita, mãe de Frankie passava por enormes dificuldades, não tinha como manter-se e a seu filho. Frankie era um bebê normal até o dia em que entrou um lamento profundo e a partir daí apenas chora, quando Carmecita achava que ele tinha se recuperado, logo volta a chorar aos berros. Infelizmente sem mais o que fazer a mãe de Frankie o enrola em uma manta e o joga no mar, aí de fato começa essa emocionante história.
Frankie é resgatado por cão pelado e feio que o leva até seu dono: Baffa, dono de uma ábrica de sardinhas, solteiro e que o adota imediatamente após o resgate. Passam- se alguns anos... Em tempos difíceis numa Espanha passando por grandes revoluções, Baffa percebe que Frankie tem um dom e decide matriculá-lo numa escola de música, mas é rejeitado por ter apenas 5 anos. Não satisfeito Baffa decide que irá procurar alguém que se disponibilize a ensinar seu filho, e após bastante procurar encontra um músico cego e muito talentoso que ensinará Frankie de uma forma bastante peculiar: antes de aprender a tocar, ele terá que sentir a música.

O livro é narrado em vários capítulos por pessoas que passaram pela vida de Frankie, onde serão contados fatos e acasos de um homem que certamente atingiu com seu dom de cantar, tocar e dançar. Frankie foi tantas vezes abandonado e jogado a própria sorte que me senti ferida ao imaginar como a vida pode ser difícil e tantas vezes cruel com algumas pessoas. Em meio a uma guerra ele conhece Aurora York, onde inicialmente ele achou que era um menino, mas ao se aproximar descobriu que era uma menina, e assim pela 1ª vez Frankie sentiu- se encantado por uma menina. Mas logo Aurora some de sua vida e por anos a fio Frankie se dedica a encontrá-la.
No decorrer do livro percebemos que quando sua mãe o abandonou, deixou enrolado a ele um jogo de cordas, mas não eram cordas de violão normais, mas por muitas vezes o salvou de formas inexplicáveis. Se teve um personagem que eu vi sofrer as mazelas da vida, este é Frankie Priesto, as únicas coisa que nunca o abandonou foram o cão pelado ( que viveu longos 18 anos ao seu lado) e a música. Quando Frankie faz 18 anos e seu amado cão desaparece no meio do Rio Mississipi, no mesmo dia Aurora York reaparece em sua vida.

Logo somos envolvidos na dinâmica vida de Frankie um astro que acabou sua vida isolado com sua esposa e filha. Após tantos problemas seguidos em sua vida, seja por traição ou perdas irreparáveis, ele viveu feliz  e conseguiu superar as dificuldades da vida. 
Mas o mais incrível é e sempre foi a sua interação com a música, nunca as notas musicais soaram tão entorpecedoras como Frankie fazia soar. Cada corda em seu violão tinha uma função específica, obviamente não contarei toda a história, mas certamente você irá se emocionar com vida Francisco Priestro. 

Um detalhe maravilhoso é ver a história contada pela música, e várias pessoas contando a história de vida de um ídolo já morto, mas que encantou e emocionou todos a sua volta.


[News] Trailer It 2017

Um dos filmes mais aguardados do ano de 2017 ganhou esta semana o pôster oficial e trailer.
Um clássico do filme de terror e que amedrontou tantos jovens durante os anos 90, vem readaptado e esperado por fãs de clássicos e amantes de filmes de terror.
Para quem não sabe It é uma adaptação de um dos filmes do mestre do terror Stephen King e traz no papel principal um palhaço que mora no esgoto e sequestra criancinhas. 

Sinopse:
Um grupo de sete adolescentes de Derry, uma cidade no Maine, formam o auto-intitulado "Losers Club" - o clube dos perdedores. A pacata rotina da cidade é abalada quando crianças começam a desaparecer e tudo o que pode ser encontrado delas são partes de seus corpos. Logo, os integrantes do "Losers Club" acabam ficando face a face com o responsável pelos crimes: o palhaço Pennywise.


Confiram algumas imagens do filme:

Trailer:


E vocês estão ansiosos?




28 março 2017

[Crítica]Oscar 2017-Moonlight, sob a luz do luar

Três momentos da vida de Chiron, um jovem negro morador de uma comunidade pobre de Miami. Do bullying na infância, passando pela crise de identidade da adolescência e a tentação do universo do crime e das drogas, este é um poético estudo de personagem.

O que eu achei?
Em Liberty City, Miami, o traficante de drogas Juan encontra Chiron, um garoto se escondendo de um bando de valentões.Ele permite que Chiron passe a noite com ele e sua namorada Teresa, antes que volte para casa e para sua mãe, Paula. Acontece que a mãe de Chiron tem problemas emocionais e não dá muita atenção para ele. Ele e Juan se tornam amigos mas um dia Chiron descobre que Juan é o fornecedor de drogas para sua mãe.
O filme avança alguns anos e mostra a adolescência de Chiron.Ele evita seu colega de classe Terrel, que implica com ele e passa seu tempo livre com Teresa,após a morte de Juan.Uma noite, ele sonha que seu amigo Kevin transa com uma mulher na varanda da casa de Teresa.Na noite seguinte, Kevin o visita na casa de praia e enquanto eles conversam sobre seus planos e acabam se beijando e se masturbando.
Alguns anos depois, já adulto, Chiron é um bem-sucedido traficante de drogas em Atlanta. Ele recebe ligações frequentes de Paula, que pede para visitá-la em uma clínica de reabilitação. Uma noite, Kevin liga para ele e o convida para visitá-lo em Miami para resolver uns problemas do passado.

O vencedor da categoria Melhor Filme, Melhor Ator Coadjuvante (Mahershala Ali) e Melhor Roteiro Adaptado é um relato da vida de Chiron, um jovem negro e gay. Três épocas de sua vida são mostradas através de seu ponto de vista: pré-adolescência, adolescência e juventude.

Moonlight-sobre a luz do luar é uma lição sobre aceitar nossos limites, nos conscientizar sobre a militância negra gay que começou na era Reagan (o filme se passa nos anos 80) e está mais forte do que nunca hoje. Nota 7,5. Só não dou uma nota mais alta porque fica meio monótono em algumas cenas.
Curiosidade: Tanto o diretor , Barry Jenkins,quanto o autor da peça em que o filme é baseado, Tarell McCraney cresceram no mesmo bairro de Miami, estudaram na mesma escola primária e tiveram mães viciadas em drogas mas não se conheciam! Acabaram emprestando um pouco de si para o personagem.

Trailer:


[Resenha] Dark London- Contagem Regressiva


Na Londres contemporânea, humanos, vampiros e outros seres sobrenaturais co-habitam em teórica harmonia. O ano de 2017 marca o final das Eras Míticas e o início da corrida para encontrar os responsáveis pelo cumprimento da Profecia das Eras. A Tríade, o Ser e o Objeto Sagrado serão reunidos 5000 anos depois do Grande Rito. Os lendários filhos dos Arcanjos Maiores serão agrupados por generais alados para que a Profecia seja cumprida pelos celestiais. O Submundo, por sua vez, está em ebulição. É a chance que os Infernais aguardavam há milênios. Os portões de acesso ao Velho Mundo estão abertos. Não existe Bem ou Mal. Alheios ao tempo e aos fatos, os vampiros Desgarrados iniciam uma sangrenta e cruel batalha contra Realeza, com conseqüências catastróficas para os humanos. Ninguém está a salvo. A iminência da exposição da sociedade vampírica ao mundo inteiro traz, ao cenário, medidas enérgicas. Vampiros. Lobos. Feiticeiras. Caçadores. Anjos, Demônios e Humanos correm contra o tempo para impedir uma série de eventos proféticos que podem levar à extinção do planeta Terra.

O que eu achei?
Brian McIntire, um vampiro inglês de 450 anos é uma fera apaixonada, um predador por natureza imposta. Alexandrya “Alex” Leon McIntire, uma humana de descendência poderosa. A imagem da perfeição em todas as suas encarnações, e Brian apaixonará-se não apenas pela mulher física, de carne e sangue, mas por sua alma, acompanhando, desejando e amando-a em cada incarnação. ambos vivendo em um mundo sombrio habitado por feiticeiros, transmorfos, lobos, e vampiros. O vampiro Brian foi construído lindamente, tendo, além de seu lado animalesco e predatório, o lado humano, onde desejos e gostos existem em paralelo; onde o prazer é parte dele, quando o sangue cessa a fome, e o sexo, os desejos carnais. Sem dúvida, uma das melhores caracterizações e criações de vampiros atualmente. O erostismo e as cenas mais quentes têm uma atmosfera intensa, com o erotismo e o desejo feroz preenchendo cada linha, detalhadamente excitante, sedutor ao modo felino - voluptuoso e voraz. Alex é poderosa, em todos os aspectos. Romântica, decidida, corajosa e absolutamente envolvente. A trama se da pela luta entre os vampiros Sentinelas (vampiros treinados pela Realeza para defender e proteger a classe, criando ordem e equilíbrio entre vampiros e humanos, sem expor sua existência) e os Opositores (vampiros anarquistas, destrutivos), um querendo o extermínio do outro. A narrativa é rápida e direta, sem enrolações, fazendo uma união perfeita entre a poesia e agilidade, onde os detalhes e descrições são claras e explícitas, porém nada cansativas ou desnecessárias. Como Brian irá enfrentar esse inimigo familiar? Que destino está reservado a Alex diante desse conflito? Como sobreviver quando a morte (ou o extermínio) os cerca a todo instante? Repleta de misticismo, magia, erotismo da melhor qualidade, romance e muito sangue, "Dark London - Contagem Regressiva", com uma escrita sombria e sedutora, conseguiu unir gêneros distintos de forma impecável, em equilíbrio e sem exageros, criando uma narrativa tensa, sombria e envolvente como uma névoa, fazendo com que você se prenda à leitura do início ao fim, e com personagens capazes de despertar toda sorte de sentimentos e sensações no leitor. Esse conto da origem ao livro "Dark London - A Profecia das Eras (Livro 1)", que será lançado dia ____. E eu garanto, é impossível terminar de ler o conto sem desejar loucamente pelo livro que virá. Para amantes de fantasia, literatura hot e dark, esse título é um prato cheio que não irá decepcionar.