28 fevereiro 2017

[Crítica] Imprevistos de uma noite em Paris e cobertura de pré estreia


Um produtor de teatro está em apuros com a peça A Mulher e o Macaco, que está prestes a estrear. Está tudo dando errado e durante uma noite ele precisa correr contra o tempo para arranjar dinheiro para pagar o salário atrasado da equipe e ainda encontrar um macaco de verdade para participar da peça.

O que eu achei?
O ator, diretor e roteirista francês Édouard Baer começou sua carreira com o filme´´O apartamento´´ (1996) que tinha no elenco os já famosos Vincent Cassel e Monica Bellucci. Desde então, seus trabalhos vem incluindo filmes de média divulgação no cinema americano, mais conhecido nos países de língua francesa, como ´´As desventuras de Moliére´´, uma divertida comédia romântica sobre o dramaturgo que debocha e critica a nobreza a francesa em suas peças para entreter as classes mais baixas, passando pelo drama ´´A câmara das mágicas´´ sobre uma mulher de 30 anos que descobre possuir uma doença rara enquanto fazia um doutorado. 


Com ´´Imprevistos de uma noite em Paris´´, ele faz seu début como diretor. O filme narra a história de Luigi, dono de um teatro que tem apenas uma noite para salvar sua peça. A estreia será prejudicada por vários problemas que surgiram de última hora:sua namorada, Friday (Audrey Tatou) terminou com ele, o diretor da peça, um japonês, perdeu o membro mais ilustre de seu elenco:a macaca, que fugiu pelas ruas parisienses durante um momento de distração do elenco, convencer sua equipe que é digno de confiança, inclusive seu amigo mais próximo-que também é o patrocinador da peça- e de sua estagiária, Faeza (Sabrina Ouazani). Ele e Faeza saem em uma épica jornada à procura da macaca e ao longo do caminho, passam por situações inusitadas que os ensinam que a melhor maneira de resolver nossos problemas é com otimismo, afinal de contas, problemas fazem parte da vida e tem que ser enfrentados.


O filme tem lá seus momentos cômicos mas eu diria que no geral, é uma comédia fraca. A mensagem que passa fica mas Édouard não consegue prender a atenção do espectador durante os cem minutos (ou seja, uma hora e quarenta) porque há algumas cenas enfadonhas, com piadas sem graça. 

  Antes do filme começar, o diretor apresentou sua obra e com a ajuda de uma intérprete,falou que esperava que os brasileiros aprovassem o filme. Após a exibição, houve um coquetel, em que o distribuidor e o próprio diretor agradeceram a presença de todos presentes e aproveitaram a ocasião para conversar com os fans. 

Esperei a poeira baixar um pouco e abordei Édouard em inglês porque como um não fala a língua do outro-não falo francês e ele não fala português, me apresentei, peguei seu autógrafo, ele autografou meu DVD de Asterix e Obelix à serviço de Sua Majestade, tirei uma foto com ele e fiz a seguinte pergunta:

-Édouard, eu escrevo para o blog Reino Literário, um blog de filmes e livros e gostaria de te perguntar: no seu ponto de vista, qual é a mensagem que o filme passa sobre o jeito de ser francês ?


A resposta dele:


-Imprevistos de uma noite em Paris mostra que nós, franceses, encaramos a vida, como uma série de lições a ser aprendidas,as dificuldades devem ser encaradas com bom humor e otimismo pois tudo na vida é passageiro e tem algo para nos ensinar.

Trailer:




26 fevereiro 2017

[News] Agora somos parceiros da LEYA!

Resultado de imagem para editora leya
É com muito orgulho que anunciamos que em 2017 integramos o time de Blogs Parceiro da Editora Leya, uma editora com grandes títulos que todos por aqui amam, então essa conquista foi mais do que comemorada por toda a equipe do Reino Literário Br.A Editora, casa de George R.R. Martin, mostra que não vive só de fantasia, e traz grandes títulos distópicos, românticos entre outros gêneros que em breve serão muito falados aqui no Reino. Conheça um pouco mais sobre a editora abaixo.

Sobre a Leya:
A LeYa nasceu em 2008 como grupo editorial no qual se integram algumas das mais prestigiadas editoras de língua portuguesa.
Líder do mercado editorial português, angolano e moçambicano, a LeYa está também presente no Brasil onde assumiu uma posição de destaque na área de edições gerais e onde atua, igualmente, no setor da Educação e das tecnologias aplicadas ao Ensino.
A força das marcas que integram a LeYa, os autores com que temos o privilégio de trabalhar e a qualidade do que, em conjunto, criamos fazem da LeYa uma empresa forte e coesa nos seus objetivos gerais e diversificada nos seus programas editoriais, bem como nas suas atividades na área da Educação.

Graças à integração de empresas e de profissionais profundamente enraizados nos respetivos mercados, a LeYa conta hoje com um capital humano extraordinário e detentor de um sólido e diversificado know-how nos meios Editorial, Educativo e Tecnológico.
Nos mercados onde opera, a LeYa apresenta-se com objetivos concretos de vir a ser protagonista, nomeadamente pelo papel que desempenha no mundo de língua portuguesa.

Conheçam o site: Editora Leya

25 fevereiro 2017

[Critica] LOGAN


Num futuro próximo, um Logan cansado cuida de um Professor X debilitado, escondido na fronteira mexicana. Mas as tentativas de Logan de esconder-se do mundo e de seu legado acabam quando um jovem mutante chega, perseguida pelas forças sombrias.




O que nós achamos?
IAN:
17 anos depois do lançamento do primeiro filme da franquia, nos deparamos com um Logan mais maduro. O ano é 2029, e a população mutante já é quase inexistente, e o grande professor Xavier, que outrora comandava os X-Men, se posso usar essa palavra, decrépito, doente, seus poderes e sua força não são um por cento do que eram alguns anos atrás.

Nesse novo e ultimo filme com o qual contamos com a presença do australiano Hugh Jackman interpretando o lendário Wolverine,  nos deparamos com o mesmo entregue a bebida e se sustentando tendo como trabalho ser motorista. Tempos difíceis estão se passando, e as incríveis habilidade de cura e regeneração de Logan não são o que foram antes.  Nesse filme tudo está mais avançado, a idade dos nossos personagens, e todo o brilho que os mutantes tinham, o poder, a força, e chego a dizer, a glória de ter como colocar o mundo ao seu redor nos eixos, tudo isso se esvaiu e agora o que restou é um mundo no qual há anos não se nasce um mutante, e os que restam, são forçados a se esconderem.
 
O que realmente impressiona nesse longa, é a presença de violência tão explicita, onde sangue e mais sangue jorram como manancial pela tela, e os palavrões se tornaram dialeto comum entre os personagens.
A chegada de uma garota, nossa queridinha X-23 , que já era aguardada pelo médium Xavier há muito tempo, que através de uma estranha mulher que pede para que ela seja levada a fronteira canadense, nos dirige a um filme de estrada, entre o nosso protagonista, e a pequena Laura, que passa grande parte do filme calada, se expressando através de expressões de raiva, curiosidade ou descontentamento.
Vemos claramente um Logan mais humano nesse filme, e durante a coletiva de imprensa aqui em São Paulo, logo a pós a cabine de imprensa, esta que contou com a presença do próprio Hugh Jackman, o mesmo nos revela algo que podemos ter percebido neste longa, ‘’Logan não tem medo de seus inimigos, seu maior medo é criar laço de afeto’’...- E isto se torna claro após a chegada da X-23.

Em minha opinião o filme é ótimo, conta com um elenco incrível, peca em alguns quesitos,  sonoplastia funciona perfeitamente nos trailers, mas no filme em si, funciona OK.
Então, nesse novo filme, o que predomina é o sentimento, a humanidade e fraqueza de um dos mutantes mais poderosos que já existiu, um lado até então desconhecido, dentro do homem com esqueleto de adamantium.

MAISA:

Não sei nem como escrever sobre esse filme, então vou começar pela história de que nunca curti super heróis e afins até o primeiro filme do Wolwerine. Logan sempre foi um personagem que tive apego, seja por seu lado quase não humano, como sua falta de talento em interagir com pessoas, suspeitava que tinha um motivo para ele ser como era.Vamos de fato ao filme?

O filme começa mostrando a imagem de um super herói decaído, demonstrando sinais de fraquezas e debilitado, em 2024 os X-Men não existem mais e há 25 anos não surge um novo mutante. Logan está isolado do mundo,  afastado do mundo e da cidade ele trabalhando como motorista de limousine(isso mesmo que você leu!)para cuidar do nosso lendário Xavier e quem o ajuda é um mutante muito frágil Caliban, afinal nem mesmo ao Sol esse ser pode ir.


Tudo ia relativamente normal até o dia em que uma mulher chamada Gabriela aparece na vida de Logan, contando que por fim dará fim a sua angustia, ela o encontra e pede ajuda a Wolwerine, mas lembrando que meu mutante favorito está aposentado...

Sem ter dado muito ideia para Gabriela, ele é confrontado por um mercenário Donald Pierce que quer sua ajuda para encontrar Laura Kinney, ou melhor a mutante X-23. A partir daí toda calmaria que Logan tinha em sua pacata vida de aposentado acaba e de fato nada será como antes.

Logo Logan se vê envolvido novamente no muno dos mutantes, já que recriaram em laboratório uma criança que possui as mesmas características de mutação de Wolwerine. Laura obviamente terá menos sentimentos e estará pronta para matar, aparentemente ela é um ser sem emoções e ávida por sangue. A classificação ter sido direcionada a maiores de 18 anos, o diretor James Mangold não poupou nas cenas com braços sendo cortados e muito sangue jorrando, então vá preparado para ver cenas fortes e bastante violentas.

Xavier tenta convencer Logan a ficar com Laura, mas ele insiste que não e numa tentativa desastrosa em deixar a menina para trás, vemos uma doce e encantadora menina que mal fala acabar com um exército inteiro de soldados dispostos a capturá-la. E acreditem ela se regenera muito mais rápido que Logan e tem outros atributos que a espécie original.
A partir daí teremos uma batalha para recuperar Laura e um Logan disposto a tudo para salvá-la.

Irei abster de detalhes técnicos e do filme com o único intuito de não ultrapassar o limite e dar spoiler, mas esse filme foi uma despedida aquém do esperado, onde realmente vi toda a essência de Logan. Eu ri, chorei e sofri de apreensão com o fim iminente dessa saga, mas meus caros nos últimos 15 minutos de filme eu chorei e fiquei assim até o término desta jornada.

Deixarei um agradecimento com lágrima nos olhos ao meu eterno Wolwerine, Hugh Jackman que nesse grand finale deu o tom ideal de humanidade, realismo e sofrimento do personagem Wolwerine. Faço o mesmo a Patrick Stewart que com um brilhantismo incrível deu um sopro de vida ao debilitado e amado Professor Xavier.

Enfim, vão ao cinema e chorem, assim como pude ouvir prantos numa sala lotada de críticos, garanto que você irá se emocionar!


Trailer:




24 fevereiro 2017

[Crítica] A grande Muralha


No século XV, um grupo de soldados britânicos está combatendo na China e se depara com o início das construções da Grande Muralha. Aos poucos eles percebem que o intuito não é apenas proteger a população do inimigo mongol e que a construção esconde na verdade um grande segredo.
O que eu achei?
O filme conta a história de William um arqueiro muito talentoso, mas que decide ir até a Grande Muralha da China para roubar um famoso artefato.

William é conhecido por ser um homem frio e calculista, arma de acordo com suas necessidades, seja roubando por comida ou por dinheiro. Ele e seu amigo Pero são inseparáveis, até mesmo nas falcatruas, mas ao tentar roubar algo da Muralha da China não poderiam imaginar que enfrentariam um verdadeiro exército de homens e mulheres dispostos a morrer para protegê- la.
Logo após serem capturados são interrogados pelos soldados com o intuito de saber como eles conseguiram cortar a pata de uma "fera", Willian explica e ainda assim  ninguém consegue acreditar em sua história. 

Enquanto estão amarrados aprisionados William e Pero presenciam um ataque das feras à Grande Muralha, ambos ficam admirados com a organização e a força do exército composto por homens e mulheres habilidosos. Com cenas maravilhosas de ação, mas que deixou muito a desejar no quesito de 3-D, um recurso pouco utilizado, achei que poderia ter sido melhor executado e as cenas de batalha por mais que tenham sido bem produzidas e dirigidas, ainda assim achei pouco perante ao que esperei do filme.
Durante o ataque William mostra que pode ser de grande ajuda para o exército, a comandante Lin Mein convida William a ensinar seu exército o que fez de fato com a fera e tanto ele quanto seu amigo começam a lutar lado a lado com o exército. Mas enquanto Willian se empolga em fazer parte de algo tão grandioso como o exército, seu amigo Pero quer fugir junto a um outro homem que tentou roubar anteriormente o exército.

Com uma direção impecável o filme não deixa pontos sem nós, toda a trama é muito bem costurada e William terá que tomar uma grande decisão e pela 1ª vez será pautada em algo maior do que seu próprio egocentrismo. Matt Damon dá vida a um William de caráter extremamente duvidoso e demonstra em nuances de olhar a mudança de atitude do personagem. Enquanto a atriz Jing Tian fez uma personagem cheia de atitudes e demonstrava suas emoções  e sutilezas no olhar. 
O filme vale ser assistido, mas certamente esperei muito mais das cenas de ação.


Trailer:

23 fevereiro 2017

[News] A Bela e a Fera

Um dos filmes ais aguardados por meninas/ mulheres e apaixonados por clássicos será lançado dia 16 de março nos cinemas. Então decidi trazer um especial com os posteres, trailer e curiosidades do filme.

Confiram os 26 posteres lançados, fica muito difícil escolher um hein...












História dos personagens

BELA (Emma Watson)
Bela é uma jovem inteligente e espirituosa que sonha viver aventuras e romance em um mundo muito além dos limites de seu vilarejo francês. Extremamente independente e introspectiva boa parte do tempo, Bela não quer nenhum tipo de relacionamento com o canalha rude e arrogante da cidade, Gaston, que a persegue incessantemente. Quando seu pai é aprisionado no castelo de uma Fera hedionda, Bela negocia sua própria liberdade pela liberdade de seu pai e rapidamente fica amiga dos antigos funcionários que acabaram se tornando utensílios domésticos devido a uma maldição lançada sobre o castelo. A Fera, apesar de grosseiro e mal-educado, pode ser generoso e cavalheiro e sabe como fazê-la rir, e Bela logo começa a perceber o coração gentil do Príncipe que há em seu interior.

A FERA (Dan Stevens)
Outrora um Príncipe jovem e elegante que havia se tornado cruel e egocêntrico antes de ser transformado por uma feiticeira em uma Fera hedionda, ele está preso no castelo até que possa aprender a amar outra pessoa e ser merecedor de receber o seu amor em troca, quebrando assim a maldição. Quando a Fera pega Maurice invadindo o castelo e o aprisiona, sua linda e obstinada filha Bela assume o seu lugar, e a Fera desenvolve sentimentos por ela, lentamente começando a voltar à vida.

GASTON (Luke Evans)
Gaston é o camponês arrogante e superficial que pretende casar-se com Bela. Antigo herói de guerra, ele chama atenção na taverna da aldeia e tem todas as mulheres disponíveis da cidade na palma de sua mão. Apaixonado por Bela, que é determinada e indiferente aos seus encantos, Gaston é consumido pela rejeição e por ciúmes, e lidera uma multidão de camponeses ao castelo da Fera para resgatar Bela e matar a Fera.

LEFOU (Josh Gad)
Braço-direito de Gaston, LeFou não é dos mais inteligentes. Ele venera Gaston, que não tem nenhuma consideração por ele e faz dele o alvo de suas piadas, mas logo LeFou percebe que por trás da bela camada exterior de Gaston há um coração muito mais sombrio.

MAURICE (Kevin Kline)
Pai da Bela, Maurice é um artista solitário especializado em lindas e únicas caixas-de-música, o que para Bela representa o mundo além dos limites de Villeneuve, mas para Maurice é uma forma de proteger sua filha ao mesmo tempo em que preserva memórias perfeitas de seu passado. Quando Maurice se vê no castelo da Fera e é aprisionado, Bela vem suplicar por sua libertação, e acaba trocando sua liberdade pela de seu pai. Agora cabe a ele convencer os aldeões sobre o aprisionamento de Bela e encontrar uma forma de libertá-la.

LUMIÈRE (Ewan McGregor)
Lumière é o mordomo francês do Príncipe que é transformado em um candelabro dourado como consequência do feitiço. Frequentemente em conflito com Horloge, o relógio, e obcecado por Plumette, o espanador de penas, Lumière é encantador e sofisticado, e tem a capacidade de transformar uma simples refeição em um espetáculo musical elaboradíssimo.

HORLOGE (Ian McKellen)
Mordomo-chefe minucioso e bastante nervoso que é transformado em um relógio pela maldição de uma feiticeira, Horloge detesta qualquer tipo de interrupção, preferindo que tudo funcione como um relógio.

MADAME SAMOVAR (Emma Thompson) e ZIP (Nathan Mack)
Antiga governanta do castelo, Madame Samovar agora é um bule de chá que ainda mantém seu sotaque londrino. Seu filho Zip, que foi transformado em uma xícara de chá, está preso no castelo com ela e os outros funcionários do castelo. É Madame Samovar que mantém Bela sob sua proteção e que convence a Fera a tentar cortejar sua nova convidada, na esperança de que seja ela que conquiste o coração da Fera.

MADAME DE GARDEROBE (Audra McDonald)
Madame de Garderobe é a renomada diva, cantora de ópera italiana que se apresentava para o Príncipe quando a maldição foi lançada, tornando-se um imenso guarda-roupas. Ela reside no quarto de Bela no castelo, e além de vestir Bela, ela tem uma queda pelo melodrama e propensão a cochilos frequentes.

MAESTRO CADENZA (Stanley Tucci)
Agora um cravo (com um número considerável de teclas quebradas) após a maldição de uma feiticeira, Maestro Cadenza é marido – e acompanhante – da célebre diva da ópera Madame de Garderobe, que, junto com sua esposa e seu cachorro, Froufrou, estão presos no castelo esperando a quebra da maldição.

PLUMETTE (Gugu Mbatha-Raw)
Plumette é a antiga doméstica do castelo que foi transformada em um espanador de penas atrevido, mas gracioso, que conquistou o coração do candelabro, Lumière.

FEITICEIRA (Hattie Morahan)
Disfarçada como uma mendiga desfigurada que busca abrigo na tempestade, a feiticeira é cruelmente rechaçada pelo Príncipe. Ela amaldiçoa o castelo para puni-lo, transformando-o em uma Fera e os habitantes do castelo em utensílios domésticos. Ela avisa a Fera que para reverter o encanto, ele deve aprender a amar outra pessoa e ser merecedor de receber seu amor em troca antes que a última pétala de uma rosa encantada caia... caso contrário, ele permanecerá como uma Fera e seus funcionários permanecerão aprisionados em suas formas inanimadas no castelo por toda a eternidade.

Galeria de fotos: 










Trailers





1º Spot:




Último Spot:

E aí quem realmente está roendo as unhas para esta estreia?