30 dezembro 2016

[New]Top 5 de Filmes, Livros e Séries, por Maisa Evelyn

Pessoas estou super sumida, mas enfim vou postar meu TOP 5, sem mais delongas...

**5 melhores livros que li em 2016 **
1. O último adeus
2. A garota no trem
3. Quando o amor bater à sua porta
4. Garota exemplar
5. Apenas um garoto

** 5 melhores filmes que vi em 2016 **
1. Animais fantásticos e onde habitam
2. Como eu era antes de você
3. Sully
4. Batmas vs Superman
5. Dr Estranho

** 5 melhore séries que assisti em 2016 **
1. HGWM
2. SENSE8
3. Stranger Things
4. Suits
5. The killing



27 dezembro 2016

[New]Top 5 de Filmes, Livros e Séries, por Sergio Augusto


Olá, pessoal! Hoje não trago uma resenha ou uma crítica, como é costume ver por aqui quando escrevo. Não, desta vez foi pedido que eu fizesse o meu top 5 de filmes, livros e séries! 

Automaticamente pensei... "Caramba! E agora?" Além de muita gente estar reclamando de 2016, que foi o ano responsável por vários desastres, eu penso diferente. O mundo do entretenimento nunca esteve tão recheado, como começou ano passado e foi se completando neste ano. Mais produções, mais investimentos e isto significa nossos corações palpitando por novidades, né?! 

Sem mais lero lero, vamos ao que interessa! Antes de tudo, eu vou deixar cada categoria separada e em ordem decrescente, beleza? Vamos lá:


FILMES

5º lugar: BEN-HUR
4º lugar: CAÇA FANTASMAS
3º lugar: ANIMAIS FANTÁSTICOS & ONDE HABITAM
2º lugar: BATMAN VS SUPERMAN: A ORIGEM DA JUSTIÇA
1º lugar: ROGUE ONE: UMA HISTÓRIA STAR WARS



LIVROS

5º lugar: HARRY POTTER E A CRIANÇA AMALDIÇOADA, de J.K. Rowling
4º lugar: LOBO POR LOBO, de Ryan Graudin
3º lugar: HORROR NA COLINA DE DARRINGTON, de Marcus Barcelos
2º lugar: NOVEMBRO, 9, de Colleen Hoover
1º lugar: A SEREIA, de Kiera Cass



SÉRIES

5º lugar: ONCE UPON A TIME
4º lugar: STRANGER THINGS
3º lugar: BLACK MIRROR
2º lugar: THE CROWN
1º lugar: FULLER HOUSE




[New] Inscrições Parcerias- Editoras e Autores

Olá galerinha, queridos leitores e blogueiros amigos do Reino Literário Br, como em 2016 estou defendendo com força a arte de prosperarmos em conjunto, aqui estão algumas parcerias abertas. Sejam de editoras ou autores.

Editoras com inscrições abertas:
Andross Editora
Formulário de inscrição
Finaliza em: Sem data limite

Arwen Editora
Formulário de inscrição
Finaliza: 10 de Janeiro de 2017

Belas Letras
Formulário de inscrição
Finaliza : Sem data limite

Contexto
Formulário de inscrição
Finaliza em: Sem data limite

Global Editora
Formulário de inscrição
Finaliza: Sem data Limite

Grupo Editorial Pensamento

Jangada
Formulário de inscrição

Novo Conceito
Formulário de inscrição
Finaliza: 26 de dezembro de 2016

Editora Selo Jovem
Formulário de inscrição
Finaliza em: Sem data limite

Editora Sinna
Inscrição: Formulário de inscrição
Finaliza: 05 de janeiro de 2017


Autores com inscrições abertas:
Amanda Agatha

Carol Dias

Clara Savelli

Mari Scotti

26 dezembro 2016

[Crítica] O Vendedor de Sonhos

Júlio César (Dan Stulbach), um psicólogo decepcionado com a vida em geral, tenta o suicídio, mas é impedido de cometer o ato final por intermédio de um mendigo, o "Mestre" (César Troncoso). Uma amizade peculiar surge entre os dois e, logo, a dupla passa a tentar salvar pessoas ao apresentar um novo caminho para se viver. Adaptação do best-seller homônimo do psicoterapeuta e escritor Augusto Cury.

O que eu achei?
Queridos leitores, tenho que admitir que ver um filme filmado em São Paulo foi emocionante para mim. Não posso afirmar quanto a vocês, afinal quase todos os filmes nacionais em sua maioria são filmados no Rio de Janeiro, mas ter a minha cidade retratada em um filme, você reconhecer lugares, prédios, ruas, é algo que realmente me cativou desde o momento que eu assisti o trailer.

Já li os três livros da série do "Vendedor de Sonhos", e digo de passagem que os mesmo me arrebataram para um universo incrível, e que me prenderam por sua narrativa sensacional, e que nos faz pensar em coisas que jamais haveríamos de pensar em nosso cotidiano, nos obrigando a refletir sobre a nossa vida e o impacto da mesma na sociedade a nossa volta.

O filme começa com um renomado psicólogo chegando ao seu ambiente de trabalho, passando direto por todos e se pondo no parapeito da janela do seu consultório no 21º andar em um prédio na região da faria lima em São Paulo, um coração comercial na cidade. Algo bem sensacionalista, onde até mesmo um outro psicólogo tenta fazer com que ele desista da decisão de se jogar e se rende ao fracasso, pois nem mesmo seu poder de persuasão foi forte o suficiente para o suicida abdicar de seu plano.

Eis quando, que para mim, observei tal cena e fiquei indagando, sem nenhuma forma de preconceito, mas apenas a curiosidade, como um homem de aparência tão simples, mal vestido, conseguiu entrar em um prédio comercial de tão alta estirpe, onde vemos nas primeiras cenas, o próprio Dr Julio Cesar ( o personagem que até então irá se jogar da janela) colocando sua digital para liberar sua entrada, como ele conseguiu acesso ao 21º do mesmo ficou um mistério para mim.
Um louco, um maluco, mas foi ele quem conseguiu mudar as idéias e tirar de sua mente essa ideia de morte. Pois com suas palavras, o suicida na verdade é um assassino, pois primeiramente ele tenta matar sua dor, mas na verdade esta matando as pessoas que ficam em vida.

A narrativa do filme em minha opinião ficou pobre, e fugiu bastante do que se é contado no livro, inventaram algumas cenas que não são retratadas no livro e isso me incomodou bastante, não há uma sistemática entre as cenas e acredito piamente que os livros conseguiram passar uma mensagem que o filme infelizmente não conseguiu e falho absurdamente tentando.
Mas num quesito geral é um bom filme de se assistir, pois o mesmo incendeia nosso senso crítico para com a sociedade e com a forma de que vivemos. Recomendo irem de mentes abertas e tentem absorver a filosofia que o filme nos entrega tão abertamente, pois hoje em dia temos pouquíssimos filmes como esse que nos faz parar e pensar na mensagem que o mesmo está tentando nos passar.

Trailer:







24 dezembro 2016

[Resenha] Comer Rezar Amar

Introdução by Maisa:
Eu poderia posta n-coisas diferentes, mas este livro realmente me emocionou muito e tocou minha alma, mas eu acabei não resenhando este livro, nem sei o motivo, mas quando li a resenha do Irlan, decidi que ia colocá- la neste dia em especial. O Natal é tempo de repensar nossas vidas e este livro e fez pensar demais sobre tudo na minha vida. Um feliz Natal a todos e uma ótima resenha!


Sinopse:
Em torno dos 30 anos, Elizabeth Gilbert enfrentou uma crise da meia-idade precoce. Tinha tudo que uma americana instruída e ambiciosa teoricamente poderia querer - um marido, uma casa, um projeto a dois de ter filhos e uma carreira de sucesso. Mas em vez de sentir-se feliz e realizada, foi tomada pelo pânico, pela tristeza e pela confusão. Enfrentou um divórcio, uma depressão debilitante e outro amor fracassado, até que se viu tomada por um sentimento de liberdade que ainda não conhecia. Foi quando tomou uma decisão radical - livrou-se de todos os bens materiais, demitiu-se do emprego, e partiu para uma viagem de um ano pelo mundo - sozinha.
Resenha:
“Tudo passa. Depois de algum tempo, tudo acaba passando.”

Encontramos, no inicio dessa jornada, uma Elizabeth perdida, atormentada, angustiada e enrolada até o pescoço em seus próprios problemas acumulados, afundada numa vida amarga e melancólica; presa em um casamento empurrado com a barriga por ela e seu marido... Marido esse que irá se tornar, depois de um longo, penoso, extenuante e tortuoso divorcio, seu ex-marido.

Elizabeth ainda se envolve com o jovem ator David, o que acaba por tornar um “provável futuro conto de fadas” em mais um inferno astral, emocional e psicológico.




Decidida a mudar de vida, ela decide passar um ano visitando três países, em busca de três desejos pessoais: Itália, pelo prazer; Índia, pela devoção; Indonésia, pelo equilíbrio. Entretanto, o que ela obtêm nessa jornada vai muito além do planejado.




Com uma escrita cativante, fluida e despretensiosa, a jornalista e protagonista de sua própria historia, Elizabeth Gilbert, discorre sobre sua vida de maneira desmedida, sem meias palavras, sem medos e sem pudor, expondo sua vulnerabilidade de forma franca e aberta, com pitadas de humor e sarcasmo.
Em COMER, a primeira parte do livro, temos a mulher atormentada por seus problemas, por seus fantasmas, que luta contra si mesma dia após dia enquanto vive em um dos lugares mais lindos, sensuais e glutões do planeta – Itália. A busca do prazer aqui está longe da parte carnal; o prazer é sensorial: visão e paladar. A regra é não ter regra. Aproveitar as belezas históricas, se deslumbrar com a cidade, e saborear (lê-se devorar) a culinária. E, acima de tudo, se envolver com a língua italiana que ela acha tão sexy, voluptuosa e envolvente.
Esta é a parta mais dolorosa do livro, onde Elizabeth ainda se encontra atormentada pelo fracasso de seu casamento, seu divorcio que suga toda sua força (e dinheiro), e sua depressão que insiste em voltar com força.

Já em REZAR, no retiro de sua Guru na Índia, ela busca a arte da devoção e da elevação espiritual. Talvez, uma das partes mais emocionais do livro, onde ela descobre que para aliviar o fardo de sua vida agora bagunçada, tudo o que ela precisa fazer é seguir com afinco sua jornada espiritual, visitando dentro de si mesma cada pedaço esqueci e deixado para trás, para perdoar e amar... O que lhe custa horas e mais horas de meditação e controle de seu corpo, mente e alma.
Os conceitos religiosos dessa parte transcendem o significado cristão comum de Deus e do divino tão distantes de nós, não apenas por ser uma experiencia real e pessoal da autora, mas por mostrar que Deus não está unicamente conosco, mas também está em nós, como nós. Sim, está é a minha parte favorita do livro, já que me identifico tanto com as questão demonstradas e abordadas nele – e não pela religião. Aqui temos a busca comum a todos que seguem alguma religião de elevação espiritual e conexão com Deus, através do amor, do perdão e da devoção.

Em AMAR, a parte final, ela está na Indonésia, e volta a encontra o xamã que visitou em uma viagem a trabalho. Lá, já dona de si, ela busca o equilíbrio entre os prazeres da terra e o contato com o divino. Um lugar paradisíaco, repleto de pessoas simpáticas, e um amor a vista fazem dessa parte do livro o momento inesperado de sua vida, onde as coisas acontecem de surpresa; onde os espaços em branco são preenchidos com gratidão e sabedoria.
Ainda há muita religiosidade nessa parte do livro, principalmente no inicio, tendo ela se tornado discípula do xamã Ketut (e sua mais fiel amiga), que lhe ensinara outros tipo de meditações, que lhe ajudou a ter coragem e aceitar os problemas da vida de forma simples: se der pra corrigir, corrija; se não, sorria (até com o seu fígado) e faço o melhor que estiver ao seu alcance.
Elizabeth é uma nova mulher, liberta de todas as suas aflições, de todos os demônios e fantasmas que atormentavam sua vida. Está livre de sua antiga persona, que era por demais controladora, inquieta, intensa... a membrana permeável de todos os sentimentos dos outros. Agora ela era ela, e mais ninguém. Alguns quilos mais pesadas (depois de Ítalia), mas, ainda assim, mais leve do que nunca.
Há em cada parte do livro (COMER, REZAR, AMAR) explicações históricas e sócio-culturais que nos faz entender o porque da escolha dela por cada lugar que passou e como a vida nesses lugares são marcadas por tradições e costumes, e ainda, como tudo isso influenciou em tua jornada.
Ainda existem pessoas incríveis que cruzam o seu caminho, tão importante para sua evolução e crescimento – tanto pessoal quanto espiritual – quanto foram cada um dos países que visitou. Momentos de aprendizagem, gratidão, boas ações e muito mais, que ajudaram a fixar na medula de sua alma (se é que isso existe) tudo o que aprendeu de mais sagrado em sua jornada.

Aqueles que não conhecem o livro, podem pensar que a idéia, o conceito, que a autora trouxe nele é muito ambicioso, muito caro, mas para os leitores mais atentos, o livro é, de fato, um guia para aqueles que desejam mudar de vida (mas sem aquele tom de auto-ajuda). Os métodos são comuns a todo ser humano, mesmo no quesito religioso (se você que buscar Deus de forma sincera, honesta e com verdade, basta dedicar-se a Ele de coração), é são aplicáveis ao nosso dia-a-dia, se simplificados (Não é preciso necessariamente ir até a Itália para se comer bem nem até a Índia para encontrar Deus).
Em seu plano de busca por evolução pessoal, que começou com a ideia de “eu”, Elizabeth foi capaz de mudar a vida de todos que conheceu, e encontrou muito mais do que jamais pensou encontrar.

22 dezembro 2016

[Crítica] Sono da Morte


Sinopse:
Logo após perder o filho pequeno, o casal Jessie (Kate Bosworth) e Mark (Thomas Jane) aceita adotar Cody (Jacob Tremblay), um garoto da mesma idade. O filho adotivo se adapta bem à nova família, mas ele tem um problema: os seus sonhos se tornam realidade, e os pesadelos, especialmente, podem ser mortais. Quando Jessie e Mark investigam o passado do garoto, descobrem histórias sinistras.

O que eu achei?
O filme conta a história de Cody, vivido pelo talentosíssimo Jacob Trambley, um menino órfão que fora abandonado por três famílias adotivas, ou lar temporário, se preferir. Cody é gentil, sensível e educado, mas o que afinal o faz voltar para o sistema de adoção?
Enquanto o casal Jessie e Mark se sentem solitários desde que seu filho morreu num acidente, tentam superar e assim suas vidas se entrelaçam.

Cody é levado para a casa do casal que decide dar um novo sentido a vida conjunta, tentando ao adotá-lo e assim poder completar a vida de ambos. Mas o que o casal não podia contar e que um novo mundo surgiria em suas vidas.
Todos os dias quando Cody dorme o casal tem algum tipo de experiência extra- sensorial, ou "do além", onde inicialmente aparece uma borboleta muito bonita. Inicialmente o casal não entende o motivo de tudo isso acontecer, mas com o desenrolar do filme somos levados ao passado de Cody e lentamente a história vai se desdobrando.
Quando a vida já parecia bastante complicada e confusa, enquanto Cody dorme uma bela noite o filho morto do casal reaparece e por alguns instantes a mãe fica tão emocionada que esquece que seu filho está morto, mas ainda assim quer conviver, seja de uma forma ou de outra.

O filme é muito bem desenvolvido, mas deixa alguns furos no final,se realmente não tiver atento, você irá ficar sem entender o motivo de algumas coisas. Minha opinião: Eu gostei independente do final, pois mudar às vezes se faz necessário.

Trailer:

21 dezembro 2016

[Crítica] Minha Mãe é uma Peça 2


Resultado de imagem para minha mãe é uma peça 2
Sinopse:
Sucesso como apresentadora de um programa de TV, Dona Hermínia (Paulo Gustavo) resolve tentar novos relacionamentos, deixando para trás o pedido de Carlos Alberto (Herson Capri) para que reatem. O problema é que cada possível namoro empaca justamente devido à preocupação dela com os filhos Marcelina (Mariana Xavier) e Juliano (Rodrigo Pandolfo).
O que eu achei?
Um dos filmes mais esperados e mais temidos por mim esse ano finalmente chega aos cinemas, e posso dizer que me surpreendi, pois confesso que estava preparada para assistir a um filme engraçado, com Paulo Gustavo estrelando não poderia ser diferente, mas que não fosse tão bom quanto o primeiro filme, e a surpresa veio por esse segundo filme abordar um novo contexto de uma mesma família, com problemas e situações típicos e impossíveis de não se identificar, e gargalhar do começo ao fim do longa.
Em Minha Mãe é uma Peça 2 encontramos Dona Hermínia famosa e bem de vida, graças ao sucesso de seu programa de TV, mas engana-se quem pensa que isso a tornou mais calma e relaxada, a mãezona anda mais elétrica e estressada do que nunca e precisa lidar com os filhos buscando independência enquanto tudo o que ela mais deseja é que eles a perturbem debaixo de suas asas de sob seus cuidados, a sexualidade de seu filho Juliano, a carreira duvidosa que Marcelina quer seguir e do lado de Garib vemos dona Hermínia exercendo um novo e hilário papel, o de avó.
Neste novo filme também conhecemos Lúcia Helena, a irmã que mora fora do país e quando vem de visita ao Brasil quer ser aquela tia descolada que as crianças adoram e fazem as mães se roerem de ciúmes. Também vamos encontrar a doce Tia Zélia, para quem Dona Hermínia sempre corre quando precisa desabafar, agora mais velha e com problemas de memória, as cenas em que ela aparece nos fazem refletir sobre o pouco tempo que temos aqui na Terra, o que fazemos com ele, e pelo que seremos lembrados.
O mais legal do filme é ver como é abordado assuntos sérios que fazem famílias brigarem e muitas vezes se separarem serem tratadas de forma leve, engraçada e casual, isso mostra que o problema que achamos imenso e exclusivo da nossa família na verdade é algo corriqueiro e que muitas pessoas passam por isso, óbvio que cada caso é um caso, mas a leveza do filme nos faz repensar o que realmente é um problema na nossa vida.
Com relação ao primeiro filme o segundo traz um contraste bem diferente. A situação do primeiro filme os filhos eram deixados sem a mãe e agora a mãe é quem precisa ver seus filhotes abrirem as asas e abandonarem o ninho, enquanto o primeiro explorava toda a dependência que os filhos têm nas mães o segundo vem com a proposta inversa de mostrar o quanto as mães são dependentes dos filhos, e que na verdade o laço dessa união não é a dependência e sim o amor mútuo que existe entre mães e filhos, não importando o tipo de família nem os problemas que vão enfrentar.
Minha Mãe é uma Peça 2 estreia nesta quinta feira e é pedida certa para encerrar o ano com chave de ouro.
Trailer:

[Carta] Contrato entre Christian Grey e Anastacia Stelle


Assinado hoje, ____________de 2011 (“O Início da Vigência”)
ENTRE
SR. CHRISTIAN GREY, residente em 301 Escala, Seattle, WA 98889
(“O Dominador”)
SRTA. ANASTASIA STEELE, residente em 1114 SW Rua Green, Apartamento 7, Haven Heights, Vancouver, WA 98888
(“A Submissa”)
AS PARTES CONCORDAM COM OS TERMOS ABAIXO
1 - Os termos a seguir são parte de um contrato vinculante entre o Dominador e a Submissa.
TERMOS FUNDAMENTAIS
2 - O propósito fundamental do presente contrato é permitir à Submissa explorar de maneira segura sua sensualidade e seus limites, respeitando e considerando devidamente suas necessidades, seus limites e seu bem-estar.

3 - O Dominador e a Submissa concordam e confirmam que tudo que ocorra sob os termos do presente contrato será con- sensual, confidencial e sujeito aos limites acordados e aos procedimentos de segurança estabelecidos no presente contrato. Limites e procedimentos de segurança adicionais poderão ser acordados por escrito.

4 - O Dominador e a Submissa garantem não sofrer de doenças de natureza sexual, séria, infecciosa ou que constitua uma ame- aça à vida, incluindo, mas sem se limitar, aids, herpes e hepatite. Se, na vigência do presente contrato (tal como definido acima), ou em qualquer extensão da vigência do presente contato, qualquer das partes for diagnosticada com ou tiver ciência de quaisquer dessas doenças, a parte em questão se encarregará de informar a outra parte imediatamente e antes de qualquer forma de contato físico entre as partes.

5 - A adesão às garantias, acordos e compromissos acima (e quaisquer limites e procedimentos de segurança acordados sob a cláusula 3) são fundamentais para a validade do presente contrato. Qualquer quebra o tornará imediatamente nulo e as partes concordam em assumir total responsabilidade uma perante a outra pela consequência de qualquer quebra.
6 - Tudo no presente contrato deve ser lido e interpretado à luz do propósito fundamental e dos termos fundamentais estabe- lecidos nas cláusulas 2-5.
OBRIGAÇÕES
7 - O dominador se responsabilizará pelo bem-estar, pelo treinamento, pela orientação e pela disciplina adequados da Submis- sa. Ele decidirá a natureza dos referidos treinamento, orientação e disciplina e o tempo e o lugar de sua administração, sujeitos aos termos, limitações e procedimentos acordados no presente contrato ou previamente acordados, em consonância com a cláusula 3.
8 - Se, em qualquer tempo, o Dominador deixar de cumprir os termos, os limites e os procedimentos de segurança acordados estabelecidos no presente contrato ou acordados em forma de aditamento sob a cláusula 3, a Submissa tem o direito de ter- minar o presente contrato no ato e deixar de servir ao dominador sem aviso prévio.

9 - De acordo com esta condição e com as cláusulas 2-5, a Submissa deve servir e obedecer ao Dominador em tudo. De acordo com os termos, limitações e procedimentos de segurança acordados estabelecidos no presente contrato ou acordados em forma de aditamento sob a cláusula 3, ela oferecerá sem questionar ou hesitar o prazer que ele solicitar e aceitará sem ques- tionar o treinamento, a orientação e a disciplina do Dominador na forma que for.
VIGÊNCIA E TÉRMINO
10 - O Dominador e a Submissa celebram o presente contrato no Início da Data de Vigência plenamente cientes de sua natureza e se comprometem a cumprir plenamente suas condições.
11 - O presente contrato vigorará por um período de três meses a partir do Início da Vigência do Contrato (“a Vigência”). Finda a Vigência, as partes discutirão se o contrato e os acordos que celebraram sob o presente contrato são satisfatórios e se as necessidades de cada parte foram atendidas. Cada parte pode propor a extensão do presente contrato sujeita a ajustes de seus termos ou aos acordos que fizeram na vigência do mesmo. Não havendo acordo para tal extensão, o presente contrato terminará e ambas as partes serão liberadas para retomar suas vidas em separado.
DISPONIBILIDADE
12 - A Submissa estará disponível para o Dominador das noites de sexta-feira até as tardes de domingo todas as semanas du- rante a Vigência em horas a serem especificadas pelo Dominador (“as Horas Designadas”). Mais horas designadas podem ser mutuamente acordadas ad hoc.

13 - O Dominador se reserva o direito de destituir a Submissa de suas funções a qualquer momento e por qualquer razão. A Submissa pode solicitar sua liberação a qualquer momento, devendo tal solicitação ser concedida a critério do Dominador, sendo resguardados apenas os direitos da Submissa mencionados nas cláusulas 1-5 e 8, acima.
LOCAL
14 A Submissa se colocará à disposição durante as Horas Designadas e as horas adicionais acordadas em locais a serem de- terminados pelo Dominador. O Dominador assegurará que todos os custos de viagens incorridos pela Submissa para este propósito sejam cobertos pelo Dominador.
CLÁUSULAS DO SERVIÇO
15 - As seguintes cláusulas do serviço foram discutidas e acordadas e receberão a adesão de ambas as partes durante a Vigên- cia. Ambas as partes aceitam que possam surgir assuntos não cobertos pelos termos do presente contrato ou pelas cláusulas de serviço, ou que certos assuntos possam ser renegociados. Em tais circunstâncias, outras cláusulas podem ser propostas a título de emenda. Quaisquer cláusulas ou emendas adicionais devem ser acordadas, documentadas e assinadas por ambas as partes e serão sujeitas aos termos fundamentais estabelecidos sob as cláusulas 2-5, acima.
DOMINADOR
15.1- O Dominador tornará prioritárias a saúde e a segurança da Submissa em todos os momentos. O Dominador, em tempo algum, solicitará, exigirá, permitirá ou ordenará que a Submissa participe de atividades detalhadas no Apêndice 2 ou de qual- quer ato que uma ou outra parte julgue inseguro. O Dominador não realizará nem permitirá que se realize qualquer ato que possa causar dano sério ou risco à vida da Submissa. As subcláusulas restantes da presente cláusula 15 deverão ser lidas e sujeitas à presente disposição e às questões fundamentais acordadas nas cláusulas 2-5, acima.
15.2 - O Dominador aceita a Submissa como propriedade sua, para controlar, dominar e disciplinar durante a Vigência. O Do- minador pode usar o corpo da Submissa a qualquer momento durante as Horas Designadas, ou em quaisquer horas extras acordadas, da maneira que julgar apropriada, sexualmente ou de outra maneira qualquer.
15.3 - O Dominador proporcionará à Submissa todos os treinamentos e orientações necessários de modo a permitir que ela sirva adequadamente ao Dominador.
15.4 - O Dominador manterá um ambiente estável e seguro em que a Submissa possa cumprir suas obrigações no serviço do Dominador.
15.5 - O Dominador pode disciplinar a Submissa conforme o necessário para assegurar que a Submissa valorize plenamente seu papel de subserviência ao Dominador e para desencorajar condutas inaceitáveis. O Dominador pode açoitar, espancar, chicotear ou castigar fisicamente a Submissa como julgar apropriado, para fins de disciplina, para seu prazer pessoal, ou por qualquer outra razão, a qual não é obrigado a explicar.
15.6 - No treinamento e na aplicação da disciplina, o Dominador assegurará que não sejam deixadas marcas permanentes no corpo da Submissa nem sejam provocados ferimentos que possam exigir cuidados médicos.
15.7 - No treinamento e na aplicação da disciplina, o Dominador assegurará que a disciplina e os instrumentos usados para os fins disciplinares sejam seguros, não sejam usados de modo a causar danos sérios, e de modo algum excedam os limites defi- nidos e detalhados no presente contrato.
15.8 - Em caso de doença ou ferimento, o Dominador tratará da Submissa, cuidando de sua saúde e segurança, encorajando-a e, quando necessário, buscando cuidados médicos.
15.9 - O Dominador manterá sua boa saúde e buscará cuidados médicos quando necessário para manter um ambiente livre de riscos.
15.10 - O Dominador não emprestará sua Submissa a outro Dominador.
15.11 - O Dominador poderá prender, algemar ou amarrar a Submissa a qualquer momento durante as Horas Designadas ou em quaisquer horas extras acordadas por qualquer razão e por períodos de tempo prolongados, tendo a devida consideração com a saúde e a segurança da Submissa.
15.12 O Dominador assegurará que todo equipamento usado para os fins de treinamento e disciplina serão mantidos sempre em perfeito estado de limpeza, higiene e segurança.
SUBMISSA
15.13 - A Submissa aceita o Dominador como seu amo, com o entendimento de que é agora propriedade do Dominador, para ser usada como bem aprouver ao Dominador durante a Vigência em geral, mas especificamente durante as Horas Designadas e quaisquer horas extras acordadas.
15.14 - A Submissa obedecerá às regras (“as Regras”) estabelecidas no Apêndice 1 do presente contrato.
15.15 - A Submissa servirá ao Dominador de qualquer maneira que o Dominador julgar adequada e se esforçará para agradar ao Dominador em todos os momentos, da melhor forma possível.

15.16 - A Submissa tomará todas as medidas necessárias para conservar-se em boa saúde e solicitará ou buscará ajuda médica sempre que necessário, mantendo o Dominador informado de quaisquer problemas de saúde que venham a surgir.

15.17 - A Submissa assegurará adquirir contraceptivos orais e assegurará fazer uso dos mesmos conforme o prescrito para evitar a gravidez.

15.18 - A Submissa aceitará sem questionar todo e qualquer ato disciplinar julgado necessário pelo Dominador e se lembrará sempre de sua condição e de suas obrigações em relação ao Dominador.

15.19 - A submissa não se tocará ou se dará prazer sexualmente sem a permissão do Dominador.
15.21 - A Submissa aceitará ser chicoteada, açoitada, espancada, varejada ou surrada ou receber quaisquer outros castigos que o Dominador decidir aplicar, sem hesitação, questionamento ou reclamação.

15.22 - A Submissa não olhará diretamente nos olhos do Dominador salvo quando especificamente instruída a fazê-lo. A Sub- missa manterá os olhos baixos e conservará uma atitude calma e respeitosa na presença do Dominador.

15.23 - A Submissa sempre se conduzirá de maneira respeitosa para com o Dominador e só se dirigirá a ele como Senhor, Sr. Grey, ou outra forma de tratamento que o Dominador indicar.

15.24 - A Submissa não tocará o Dominador sem a permissão expressa deste para fazê-lo.
ATIVIDADES
16. - A Submissa não participará de atividades ou quaisquer atos sexuais que uma parte ou outra julgue insegura ou de quais- quer atividades detalhadas no Apêndice 2
17. - O Dominador e a Submissa já discutiram as atividades estabelecidas no Apêndice 3 e registraram por escrito no Apêndice 3 seu acordo em relação às mesmas.
CÓDIGO DE SEGURANÇA
18 - O Dominador e a Submissa reconhecem que o Dominador pode fazer exigências à Submissa que não podem ser satisfeitas sem que ocorram danos físicos, mentais, emocionais, espirituais ou outros na hora em que as exigências forem feitas à Sub- missa. Em tais circunstâncias, a Submissa pode usar um código de segurança (“o[s] Código[s]”). Dois códigos serão invocados dependendo da gravidade das exigências.

19 - O Código “Amarelo” será usado para chamar a atenção do Dominador para o fato de que a Submissa chegou perto de seu limite suportável.
20 - O Código “Vermelho” será usado para chamar a atenção do Dominador para o fato de que a Submissa não pode tolerar mais qualquer exigência. Quando esta palavra for dita, a ação do Dominador cessará completamente com efeito imediato.
CONCLUSÃO
21 - Nós, abaixo assinados, lemos e entendemos plenamente as disposições do presente contrato. E por estarmos assim justos e contratados, assinamos o presente instrumento.
O Dominador: Christian Grey
Data:
A Submissa: Anastasia Steele
Data:
Deixe- nos um comentário.